• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Internacional Químico russo garante que ataque a ex-espião foi obra de Moscou Vil Mirzayanov está convencido que a Rússia realizou o ataque para intimidar os opositores de Putin

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 14/03/2018 13:50 Atualizado em:

Aos 83 anos, Vil Mirzayanov trabalhou por 30 anos para o Instituto Estatal de Pesquisa Científica de Química e Tecnologia. Foto: DOMINICK REUTER / AFP
Aos 83 anos, Vil Mirzayanov trabalhou por 30 anos para o Instituto Estatal de Pesquisa Científica de Química e Tecnologia. Foto: DOMINICK REUTER / AFP
O químico russo que revelou pela primeira vez a existência do agente neurotóxico Novichok, declarou que apenas os russos podem estar por trás do uso dessa arma química na Grã-Bretanha contra um ex-espião e sua filha. 

Vil Mirzayanov, de 83 anos, chegou aos Estados Unidos em 1995 depois de trabalhar por 30 anos para o Instituto Estatal de Pesquisa Científica de Química e Tecnologia, ou GNIIOKhT.

Foi ele quem revelou no início dos anos 90 a existência desse tipo de agentes neurotóxico poderoso, primeiro na imprensa russa durante a abertura que levou ao colapso da União Soviética e, em seguida, com fórmulas químicas em seu livro "State Secrets" (Segredos de Estado), publicado em 2007.

O ex-agente russo Sergey Skripal, de 66 anos, foi encontrado no dia 4 de março em estado crítico com sua filha Yulia no banco de um parque em Salisbury (sul da Inglaterra), onde morava há anos.

Londres diz que é "altamente provável" que Moscou esteja por trás do ataque com o agente neurotóxico.
 
Falando em sua casa em Princeton, Nova Jersey, Mirzayanov afirma estar convencido de que a Rússia realizou o ataque como uma forma de intimidar os opositores do presidente Vladimir Putin.

"Somente os russos desenvolveram esse tipo de agente neurotóxico", afirmou o químico. "Eles mantiveram e ainda mantêm o segredo".

A única outra possibilidade, acrescentou, é que alguém tenha utilizado as fórmulas publicadas em seu livro para fazer a substância.

Intimidação

Ele indicou que os russos poderiam argumentar que talvez alguém sintetizou a substância e "poderiam me culpar".

Esta é a primeira vez que o agente neurotóxico, que levou 15 anos para ser desenvolvido e que foi testado em animais, foi usado para tentar matar uma pessoa, indicou Mirzayanov.

Porque agora? Mirzayanov acredita que o Kremlin quer intimidar os inimigos de Putin. 
 
Falando em sua casa em Princeton, Nova Jersey, Mirzayanov afirma estar convencido de que a Rússia realizou o ataque como uma forma de intimidar os opositores do presidente Vladimir Putin.

"Somente os russos desenvolveram esse tipo de agente neurotóxico", afirmou o químico. "Eles mantiveram e ainda mantêm o segredo".

A única outra possibilidade, acrescentou, é que alguém tenha utilizado as fórmulas publicadas em seu livro para fazer a substância.

Intimidação

Ele indicou que os russos poderiam argumentar que talvez alguém sintetizou a substância e "poderiam me culpar".

Esta é a primeira vez que o agente neurotóxico, que levou 15 anos para ser desenvolvido e que foi testado em animais, foi usado para tentar matar uma pessoa, indicou Mirzayanov.

Porque agora? Mirzayanov acredita que o Kremlin quer intimidar os inimigos de Putin. 
 
Agora que Mirzayanov fala abertamente sobre o Novichok, seus amigos pedem que tenha cuidado, para que Moscou não busque represálias contra ele.

"Mas eu já vivi bastante tempo. Eles não podem me impedir. Vou trabalhar até o fim para que o Novichok seja submetido ao controle internacional", disse ele.  


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.