• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
EUA Tiroteio em escola na Califórnia deixa ao menos cinco mortos De acordo com a imprensa local, ao menos cem policiais foram deslocados para atender a ocorrência

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 14/11/2017 15:59 Atualizado em: 14/11/2017 19:15

Pelo menos cinco pessoas morreram e duas crianças ficaram feridas nesta terça-feira (14/11) em um tiroteio em uma escola na zona rural da Califórnia, informaram as autoridades locais. Um dos feridos levou dois tiros e foi levado de helicóptero em estado grave. 

O tiroteio teria começado em uma residência do condado de Tehama, no norte deste estado da costa oeste americana, e prosseguiu na escola, disseram as autoridades citadas pelos veículos de comunicação. Phil Johnston, assistente do xerife, disse à rede KCRA de San Francisco que o atirador foi morto pela polícia.
 
Segundo o jornal americano ABC News, o ataque terminou num colégio perto da comunidade de Corning. Fontes locais indicaram que um homem matou as vítimas em uma casa próxima ao colégio Rancho Tehama. Já na escola, teria começado a atirar por volta das 8h (horário local).

O episódio aconteceu num momento em que os pais haviam acabado de deixar os filhos no colégio. Em entrevista ao jornal americano, uma das mães que chegou no local no momento dos disparos diz que ficou muito assustada. "Ouvi barulhos de explosões e pensei em tudo de ruim que poderia estar acontecendo na escola do meu filho", lembra.
 
Um hospital da região relatou a ABC Newa que estava tratando de três crianças e um adulto ferido no ataque, mas não informou o estado nem a idade das vítimas.

O xerife-assistente do condado de Tehama, Phil Johnston, afirmou que cem agentes foram mobilizados para investigar ao menos cinco cenas de crime na região, que fica a cerca de 200 quilômetros ao norte de Sacramento, capital do estado.
 
Ele acrescentou que não tinha o número exato de vítimas, mas que sabia da morte de pelo menos três adultos: "Sei que retiramos pelo ar alguns estudantes, sei que a escola foi liberada, eu sei que temos crianças que estavam na escola em um local seguro, agora".
 
Brian Flint, que mora na região, disse a um jornal local que o atirador era seu vizinho, um ex-presidiário de cerca de 50 anos, "que esteve atirando muito" nos últimos dias, "centenas de disparos com grandes carregadores".
 
"Percebemos que este cara estava louco e que era uma ameaça", declarou Flint ao jornal Redding Record Searchlight.
Johnston informou à imprensa que foram recuperadas três armas na cena do crime: um fuzil semiautomático e duas armas curtas.
 
"Sei que retiramos pelo ar alguns estudantes, sei que a escola foi liberada, eu sei que temos crianças que estavam na escola em um local seguro, agora".
 
O jornal americano Redding Record Searchlight assinalou que entre os feridos está um menino de seis anos atingido por dois tiros, e outra criança atingida na perna.

O jornal revelou ainda que o atirador se refugiou em um prédio antes de ser morto pela polícia.

Katrina Gierman, que mora próximo à escola, disse ao jornal que escutou os tiros e se escondeu em casa com seu bebê recém-nascido. "Tenho o direito de portar armas e vou proteger meu filho se for preciso".

A escola Rancho Tehama está nos arredores de Corning, um povoado de 8 mil habitantes dedicado à produção de azeite de oliva e situado 160 km ao norte de Sacramento, capital da Califórnia.

O tiroteio ocorre dez dias após outro incidente, no qual um homem abriu fogo contra fiéis em uma igreja do Texas matando 26 pessoas, em mais um incidente envolvendo armas de fogo nos Estados Unidos.

Ao menos 33 mil pessoas morrem anualmente nos Estados Unidos em incidentes com armas de fogo, sendo dois terços suicídio, segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.