• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Internacional Jordânia abre maior parque solar em campo de refugiados O projeto, financiado pela Alemanha, custou 15 milhões de euros

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 13/11/2017 20:11 Atualizado em:


A Jordânia inaugurou nesta segunda-feira (13) o maior parque solar já construído em um campo de refugiados, com a esperança de melhorar a vida dos milhares de sírios que vivem ali.

A instalação, feita no campo de Zaatari, é composta por 4.000 painéis solares com capacidade total de 12,9 megawatts, que permitirão fornecer 14 horas por dia de energia elétrica aos 80.000 habitantes do local, segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur).

O projeto, financiado pela Alemanha, custou 15 milhões de euros (17,5 milhões de dólares).

O Acnur fornecia oito horas de eletricidade por dia até agora, com um custo de 500.000 dólares ao mês, disse Stefano Severe, representante desta agência na Jordânia.

"Com esta unidade solar e a ajuda da Alemanha, o Acnur poderá produzir 14 horas a custo zero", anunciou em uma cerimônia ocorrida no campo, que contou com a presença do ministro jordaniano de Energia, Salah al Jarabsheh, e da embaixadora alemã Birgitta Siefker-Eberle.

Severe disse que o dinheiro economizado graças a essas instalações será utilizado para melhorar outros serviços no campo.

As horas de eletricidade adicionais melhorarão a vida dos refugiados "ao dar mais oportunidade às crianças de estudar à noite" e ao permitir que "as pessoas conservem alimentos em suas geladeiras e se comuniquem com o mundo exterior", explicou.

A Jordânia inaugurou em maio um parque solar com capacidade de dois megawatts no campo de refugiados sírios de Azraq, no qual vivem cerca de 35.000 pessoas.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.