• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Protocolo Príncipe Charles substitui rainha em cerimônia do Domingo da Recordação

Por: AE

Publicado em: 12/11/2017 14:28 Atualizado em:

O príncipe Charles liderou a cerimônia anual de Domingo da Recordação do Reino Unido, em homenagem aos mortos em guerras, assumindo o papel exercido por mais de seis décadas por sua mãe, a rainha Elizabeth II. A rainha, de 91 anos, assistiu à cerimônia, realizada no memorial de Cenotaph, em Londres, de uma sacada próxima, ao lado de seu marido, o príncipe Philip, de 96 anos.

A monarca, que está reduzindo gradualmente os seus deveres públicos depois de 65 anos no trono, pediu a Charles, de 68 anos que levasse uma coroa de papoulas em seu nome. Os netos da rainha, os príncipes William e Harry, e outros membros da família real também deixaram grinaldas vermelhas ao pé do monumento.

Líderes políticos do Reino Unido, representantes de várias religiões e dignitários do Commonwealth também participaram da cerimônia no centro de Londres, colocando grinaldas no monumento de pedra inscrito com as palavras "os mortos gloriosos". Milhares de militares, veteranos e civis se reuniram em um dia frio e ensolarado para homenagear os mortos na Primeira Guerra Mundial e conflitos subsequentes.

A cerimônia ocorre todos os anos no domingo mais próximo do aniversário do fim da Primeira Guerra Mundial, em 11 de novembro de 1918. Cerimônias semelhantes foram realizadas em dezenas de cidades do Reino Unido e em bases militares britânicas no exterior.

Na cidade de Omagh, na Irlanda do Norte, a cerimônia foi interrompida quando um dispositivo suspeito foi encontrado perto do memorial de guerra. A polícia cercou a área, e o inspetor-chefe da Polícia do Norte da Irlanda, Graham Dodds, disse que era "uma tentativa de covardes de criar medo e perturbação". Omagh foi palco de um ataque a bomba durante o conflito entre católicos e protestantes na Irlanda do Norte - dissidentes do Exército Republicano Irlandês (IRA) mataram 29 pessoas com um carro-bomba em 1998.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.