• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Mudanças Reforma tributária nos EUA prevê corte de imposto para empresas e pessoas O projeto prevê quatro alíquotas para pessoas físicas: 12%, 25%, 35% e 39,6%. A taxa de 39,6% é válida para casais com renda acima de US$ 1 milhão

Por: AE

Publicado em: 02/11/2017 13:13 Atualizado em:

Republicanos da Câmara dos EUA, buscando a maior transformação no código tributário do país em mais de 30 anos, visam reduzir permanentemente o imposto para empresas dos atuais 35% para 20% e comprimir o número de faixas de imposto de renda de pessoas físicas, de acordo com um resumo do plano obtido pelo The Wall Street Journal.

O projeto prevê quatro alíquotas para pessoas físicas: 12%, 25%, 35% e 39,6%. A taxa de 39,6% é válida para casais com renda acima de US$ 1 milhão.

Também está prevista a criação de um imposto de 10% sobre os altos lucros de subsidiárias de empresas americanas no exterior, como uma medida para prevenir que as companhias concentrem seus ganhos em outros países. Há, ainda, a imposição de novas restrições para companhias estrangeiras operarem nos EUA, como um imposto de até 20% sobre pagamentos feitos no exterior por suas operações em território americano.

Muitas companhias poderão ter um novo limite de redução de deduções, que poderá ser de 30% sobre o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda). Companhias do setor imobiliário e pequenas empresas podem ser isentas desse limite.

Outra alteração prevista diz respeito a um imposto que seria cobrado sobre o estoque de lucros das empresas no exterior, que deve ser significativamente maior que o estimado pelos republicanos. O projeto prevê alíquota de 12% sobre o dinheiro das subsidiárias estrangeiras e 5% sobre investimentos sem liquidez.

Para compensar parcialmente a perda de receita, os republicanos planejam suspender as deduções com pagamentos de impostos estaduais e locais de pessoas físicas e de empresas com o pagamento de juros de dívidas. O plano, no entanto, não dá detalhes sobre possíveis mudanças em pontos como o plano de aposentadoria 401 (k) .

O Comitê de Formas e Meios da Câmara dos EUA planeja analisar o projeto na próxima semana, com o objetivo de transformá-lo em lei até o Natal para que entre em vigor em 2018.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.