• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Internacional Fuga de empresas da Catalunha: Quebec já passou por isso Episódio é semelhante ao que Quebec viveu no Canadá

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 11/10/2017 13:35 Atualizado em:

A fuga de grandes empresas, que transferiram sua sede da Catalunha por medo de ficar fora da União Europeia caso a independência da região se concretize, se assemelha ao que o Quebec viveu no Canadá, após a chegada de separatistas ao poder em 1976.

"Há semelhanças, a classe empresarial raramente é favorável a esse tipo de separação. Em parte, está vinculada a decisões de empresas, mas também há chantagem política, ou econômica", segundo Mario Polèse, professor do Instituto Nacional de Pesquisa Científica do Quebec.

A vitória eleitoral do Partido Quebequense (PQ) nas eleições provinciais de 15 de novembro de 1976 preocupou bastante a comunidade anglófona do Quebec, minoritária, mas à frente da economia da província desde a queda da Nova França, em 1760.

"Para os anglófonos, foi um choque enorme ver como um partido pequeno, que sete anos antes não existia eleitoralmente, tomou o poder e prometia a independência de Quebec", explica Polèse à AFP.

O PQ prometeu não apenas um referendo sobre a independência, mas a partir de 1977 reforçou a lei que tornava o francês a única língua oficial da província. Ele também passou a ser o idioma de trabalho em quase todas as grandes empresas e na escolarização de novos imigrantes.

Em pânico, "cerca de 200 mil anglófonos" abandonaram a província nos 15 anos seguintes, levando consigo muitas sedes sociais das empresas que controlavam.

Entre janeiro de 1977 e novembro de 1978, Montreal viu 263 empresas transferirem suas sedes sociais, segundo dados do Conselhos de Patronais do Quebec.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.