• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
INUNDAÇÕES Chuvas torrenciais no Himalaya matam quase 100 no Nepal e na Índia No parque nacional de Chitwan, no Nepal, hotéis deslocaram hóspedes para quartos nos andares mais altos por conta das inundações

Publicado em: 13/08/2017 15:06 Atualizado em: 13/08/2017 15:14

Shimla, Índia - Deslizamentos de terra e inundações decorrentes de chuvas torrenciais no Himalaya deixaram pelo menos 94 mortos no Nepal e na Índia desde sexta-feira, anunciaram autoridades locais neste domingo. O total de óbitos deve aumentar diante do grande número de pessoas ainda desaparecidas. A Cruz Vermelha calcula que o número de vítimas em pelo menos 53 mortos, dezenas de desaparecidos e feridos e milhares de casas arrasadas.

De acordo com o último boletim do governo nepalês, ao menos 49 pessoas morreram, enquanto milhares tiveram de deixar suas casas. "Outras 17 pessoas estão desaparecidas. Os trabalhos de busca e resgate continuam em curso, mas o nível de água ainda não baixou", declarou o chefe do Centro Nacional de Emergências do Nepal, Shankar Hari Acharya.

No parque nacional de Chitwan, um destino muito turístico do Nepal, os hotéis deslocaram seus hóspedes para quartos nos andares mais altos para evitar as inundações. Este ano, mais de 100 pessoas perderam a vida por culpa das chuvas da monção, que costumam afetar o país entre junho e agosto.

Na vizinha Índia, pelo menos 45 pessoas morreram, e dezenas continuam desaparecidas, após um deslizamento de terra na província de Himachal Pradesh, que arrastou dois ônibus para um precipício. Os socorristas continuam no local, trabalhando em busca de sobreviventes. "Quarenta e cinco corpos foram encontrados", disse Sandeer Kadam, representante do governo estadual de Himachal Pradesh, atualizando o balanço total de vítimas fatais dessa tragédia. Centenas de pessoas morreram na Índia por causa das inundações, dos temporais, ou dos deslizamentos de terras desde o início dessa temporada, em abril.

Agence France-Presse


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.