• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Caça Índia lança perseguição para encontrar elefante que matou 15 pessoas O elefante, que teria se perdido depois de se separar de sua manada, andava pelos povoados das montanhas de Sahibganj, habitadas pela tribo paharia, uma das comunidade mais pobres da Índia

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 11/08/2017 18:39 Atualizado em:

Elefantes na vida selvagem. Foto: Elephants Without Borders
Elefantes na vida selvagem. Foto: Elephants Without Borders


A Índia recorreu nesta sexta-feira (11/8) ao seu melhor caçador para perseguir um elefante que matou 15 pessoas durante a sua devastadora passagem por várias localidades.

O governo chamou o atirador de elite Nawab Shafat Ali Khan para acabar com as mortais caminhadas do animal.

O elefante esmagou quatro pessoas no estado de Bihar em março, antes de matar outras 11 recentemente em Jharkhand.

Segundo L.R. Singh, encarregado da preservação das florestas e da fauna selvagem de Jharkhand, a decisão de matar o animal foi tomada depois de uma tentativa frustrada de administrar um sedativo para capturá-lo.

Na sua opinião, esta missão de uma semana de duração fracassou devido ao terreno rochoso e à densa vegetação do distrito de Sahibganj. 

"Já matou muitas pessoas. Somente nos últimos quatro dias houve dois mortos. Apesar de todos os esforços de nossas equipes, que trabalharam 24 horas por dia, os sete dias da semana, não tivemos outra opção a não ser mandar que matassem o animal", disse à AFP.

O elefante, que teria se perdido depois de se separar de sua manada, andava pelos povoados das montanhas de Sahibganj, habitadas pela tribo paharia, uma das comunidade mais pobres da Índia.

Nawab Shafat Ali Khan "é um dos melhores. Tem experiência em caçar animais selvagens e, por isso, foi confiada a ele a responsabilidade de matar o elefante", declarou Singh.

"Esperamos que pegue o animal a qualquer momento. Pode ser hoje, essa noite, amanhã... a qualquer momento", acrescentou.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.