• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Governo Oposição diz que Maduro foi 'revogado' com resultado de plebiscito na Venezuela O opositor assegurou que a denominada consulta popular aconteceu "com total beleza e confiança"

Por: Agência Brasil

Publicado em: 17/07/2017 08:32 Atualizado em:

A chamada comissão de fiadores do plebiscito opositor informou antes, com base em 95% do total de votos, que 7.186.170 de venezuelanos participaram da consulta. Foto: Francisco Batista/Presidencia de Venezuela
A chamada comissão de fiadores do plebiscito opositor informou antes, com base em 95% do total de votos, que 7.186.170 de venezuelanos participaram da consulta. Foto: Francisco Batista/Presidencia de Venezuela


O presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Julio Borges, disse que, como a oposição conseguiu quase sete milhões de votos a favor da sua proposta no plebiscito contra o governo, o resultado deixa o presidente do país, Nicolás Maduro, praticamente "revogado".

"Com os votos do povo venezuelano, matematicamente Nicolás Maduro está revogado no dia de hoje. Esse era o medo que [ele] tinha do plebiscito revogatório e, por isso, impediu; por isso o governo não quer fazer eleições nunca mais", disse Borges após conhecer os resultados eleitorais.

O opositor assegurou que a denominada consulta popular aconteceu "com total beleza e confiança" e que os venezuelanos contaram com menos centros de votação do que em qualquer outra disputa nacional.

"No entanto, o povo superou todos os obstáculos, não somente o de haver menos lugares para votar, mas também superou o medo, superou a violência, superou as ameaças do governo aos funcionários públicos, às pessoas que recebem programas sociais", prosseguiu Borges.

A chamada comissão de fiadores do plebiscito opositor informou antes, com base em 95% do total de votos, que 7.186.170 de venezuelanos participaram da consulta feita à margem do poder eleitoral e que pelo menos 98% dos eleitores votaram sim nas três perguntas.

"Esperamos o número final que será divulgado [hoje, 17]  para que nós possamos ter a certeza de que vamos conseguir a mudança democrática no país", finalizou.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.