• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Internacional França criará 12.500 novas vagas para refugiados No total, o governo irá criar 4.000 vagas em 2018 para os requerentes de asilo e 3.500 em 2019

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 12/07/2017 11:14 Atualizado em: 12/07/2017 11:31

Segundo dados oficiais, no ano passado, a França recebeu 85.000 pedidos de asilo. Foto: Pierre Constant/AFP Photo
Segundo dados oficiais, no ano passado, a França recebeu 85.000 pedidos de asilo. Foto: Pierre Constant/AFP Photo

A França vai criar 12.500 novas vagas de acolhida para os requerentes de asilo e refugiados nos próximos dois anos, anunciou nesta quarta-feira o primeiro-ministro Edouard Philippe, durante a apresentação de um plano para lidar com o afluxo maciço de imigrantes.

Em paralelo, o primeiro-ministro deixou claro que os imigrantes que não obtiveram o estatuto de refugiado serão expulsos "sistematicamente". 

"Os imigrantes econômicos devem entender que não é possível receber a todos em nosso país", afirmou.

No total, o governo do presidente centrista  Emmanuel Macron irá criar 4.000 vagas em 2018 para os requerentes de asilo e 3.500 em 2019, que vão se somar as 5.000 criadas no mesmo período para os refugiados.

"Nós não estamos à altura do que deve ser a França" em termos de acolhida de refugiados e requerentes de asilo, admitiu Philippe.

O objetivo, acrescentou, é "reduzir significativamente o tempo de tramitação" dos pedidos de asilo. Em 2016, o prazo era de 14 meses e o objetivo é diminuir para 6, conforme anunciado por Macron. 

Segundo dados oficiais, no ano passado, a França recebeu 85.000 pedidos de asilo.

Com este plano, o governo francês também busca acabar com o ciclo de reassentamento sistemático dos acampamentos informais nas ruas de Paris. Na sexta-feira, 2.800 pessoas foram retiradas de um acampamento formado no norte da capital, mas nesta segunda-feira mais de 200 migrantes já haviam se restabelecido no local.




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.