• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Crise 'Eleição acabou!', diz Trump sobre protestos Presidente criticou atos organizados contra ele nos EUA

Por: AE

Publicado em: 16/04/2017 11:40 Atualizado em: 17/04/2017 07:44

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, usou o Twitter neste domingo para comentar os protestos contra ele promovidos em várias cidades ontem no país. Trump considerou as manifestações pequenas e sugeriu a ação de grupos organizados por trás delas: "a eleição acabou!", concluiu.

"Alguém deveria investigar quem pagou pelos pequenos protestos organizados ontem. A eleição acabou!", escreveu na rede social.

Manifestantes foram às ruas em dezenas de cidades dos Estados Unidos neste sábado para pedir ao presidente Donald Trump que libere suas declarações de impostos, dizendo que os americanos merecem saber sobre seus laços de negócios e potenciais conflitos de interesse.

Os organizadores disseram que os protestos - chamados de Marcha Fiscal - foram agendados em quase 150 cidades e resultaram da marcha das mulheres que aconteceu no dia seguinte à posse de Trump. O presidente é o primeiro grande candidato do Partido Republicano em mais de 40 anos a não divulgar suas declarações fiscais, alegando que foi porque ele estava sob auditoria. Ele disse mais tarde que os eleitores não se importam.

Trump comentou no Twitter o pedido para que divulgue suas declarações de impostos.

"Eu fiz aquilo que era quase impossível de se fazer para um Republicano", escreveu. "Vitória fácil no colégio eleitoral!", acrescentou. "Agora, (o tema das) declarações de impostos volta?", questionou.

China

Trump escreveu ainda sobre a relação dos Estados Unidos com a China. Num momento em que a imprensa norte-americana tem repercutido uma mudança de postura do presidente com relação ao país asiático, ele questionou a acusação atribuída a ele de que a China tenha manipulado sua moeda.

Autoridades norte-americanas tem dito que o governo Trump deve aumentar a pressão sobre a Coreia do Norte com a ajuda da China. Analistas políticos tem contraposto essa aproximação entre Trump e o governo chinês a declarações do presidente durante a campanha, quando ele chegou a defender a imposição de tarifas a produtos chineses.

"Por que eu diria que a China é um manipulador de moeda quando eles estão trabalhando conosco no problema da Coreia do Norte? Vamos ver o que acontece!", escreveu. (Dayanne Sousa - dayanne.sousa@estadao.com, com informações da Dow Jones Newswires)

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.