• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Declaração "Iremos para guerra se os EUA quiserem", diz vice-ministro da Coreia do Norte A autoridade também advertiu para que os EUA não provoquem militarmente o regime norte-coreano

Por: AE

Publicado em: 14/04/2017 08:23 Atualizado em:

O vice-ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Han Song Ryol, afirmou nesta sexta-feira que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, é culpado por construir um "círculo vicioso" de tensões na Península Coreana, ao dizer que seus tuítes "agressivos" estão "causando problemas". Em entrevista exclusiva à Associated Press, a autoridade também advertiu para que os EUA não provoquem militarmente o regime norte-coreano. "Nós iremos para a guerra se eles escolherem isso", afirmou.

 "Se os EUA vierem com manobras militares imprudentes, então nós os confrontaremos com um ataque preventivo da República Democrática do Povo da Coreia", afirmou Han. "Nós temos um poderoso arsenal nuclear já em nossas mãos e certamente não ficaremos de braços cruzados diante de um ataque preventivo dos EUA."

 Falando por meio de um intérprete fornecido pelo Ministério das Relações Exteriores, Han manteve-se calmo e polido, mas firme ao longo da entrevista de 40 minutos. As tensões com os EUA pioram, após este enviar um porta-aviões para águas próximas da Península Coreana e estar em meio ao maior exercício militar conjunto já feito com a Coreia do Sul. Pyongyang, por sua vez, recentemente lançou um míssil balístico e alguns especialistas dizem que poderia conduzir outro teste nuclear a qualquer momento.

 "Isso é algo que nossos comandos decidem", disse Han sobre a possibilidade do sexto teste nuclear norte-coreano. "Na hora e no lugar em que o comando julgar necessário, isso acontecerá."

 Muitos observadores avaliam que a Coreia do Norte poderia ter uma ogiva nuclear viável e um míssil balístico capaz de atingir território americano nos próximos anos. Han, porém, diz que seu país responsabiliza Trump pela crescente tensão. Ele citou não apenas os exercícios militares entre os EUA e a Coreia do Sul e o envio do porta-aviões, o USS Carl Vinson, mas também um tuíte enviado por Trump segundo o qual a Coreia do Norte estaria "procurando problemas". Trump também escreveu que, caso a China não faça sua parte para controlar as ambições nucleares de Pyongyang, os EUA podem lidar com isso.

 "Trump está sempre fazendo provocações com suas palavras agressivas", afirmou Han. Segundo ele, enquanto continuarem as ameaças nucleares e a "chantagem", o país fortalecerá sua defesa inclusive com armas nucleares. "Seja o que vier dos EUA, nós enfrentaremos isso. Estamos totalmente preparados para lidar com isso."

 A Coreia do Norte se prepara para seu maior aniversário do ano, o que marca o 105º ano do nascimento do falecido líder Kim Il Sung, avô do atual líder, Kim Jong Un. O aniversário neste sábado pode dar ao mundo alguma ideia do arsenal do país. Há a expectativa de que Pyongyang mostre durante uma parada militar seus mais novos mísseis.

 O vice-ministro disse que os EUA se tornaram "mais viciosos e mais agressivos" no governo Trump, em comparação com o do ex-presidente Barack Obama. "Nós vamos para a guerra se eles quiserem", comentou, acrescentando que sempre que políticos americanos queiram derrubar o sistema e o governo da Coreia do Norte "nós os rejeitaremos categoricamente". Fonte: Associated Press.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.