• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Moda Ronaldo Fraga emociona público do SPFW com desfile que denuncia transfobia Estilista mineiro convocou 28 transexuais para cruzar as passarelas

Por: Estado de Minas

Publicado em: 26/10/2016 22:03 Atualizado em:

Desfile emocionou o público. Foto: Marcelo Soubhia/Agência Fotosite
Desfile emocionou o público. Foto: Marcelo Soubhia/Agência Fotosite


Vinte e oito transexuais vestiram a arte do estilista mineiro Ronaldo Fraga nesta quarta-feira (26), durante o São Paulo Fashion Week. Nada mais coerente com o tema de sua coleção para o verão de 2017, que levanta a bandeira da transfobia. Como quem quis fazer com o que público do SPFW vestisse a pele das pessoas trans, Fraga usou as passarelas do evento internacional de moda para dar visibilidae a uma absurda realidade: o Brasil é o país com maior número de assassinatos de transgêneros em todo o mundo.

A seleção das modelos foi feita anonimamente por meio das redes sociais. O produtor Fernando Valiengo é quem enviou as mensagens-convite às beldades. Entre elas está a top belo-horizontina Carol Marra. O desfile foi o último de sua carreira e a emocionou. "Ronaldo deu voz a quem não tem voz, deu visibilidade a pessoas que são invisíveis. Todas as modelos do desfile eram trans e puderam contar uma história independente do seu gênereo, afinal a genitália estava tampada. Então elas mostraram uma roupa com beleza, feminilidade e dignidade, como qualquer outra modelo faz. Foi muito lindo", disse a moça.
 
De acordo com o estilista, poucas modelos estavam no desfile - o elenco foi primariamente formado por beldades em outras profissões, como cabelereira, dona de casa, professora e garota de programa. Em uma edição anterior da semana de moda, Fraga colocou senhoras idosas na passarela. Em 2013, porém, o estilista foi acusado de racismo ao vestir modelos com perucas de palha de aço em um desfile sobre a influência africana no Brasil. 


Acompanhe o Viver no Facebook:


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.