• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Moda A arte de ser blogueira de moda: fenômeno tem mais de 200 representantes em Pernambuco Celebridades da internet, elas ditam tendências e influenciam padrões; já são cerca de 200 em atividade no estado

Por: Larissa Lins - Diario de Pernambuco

Publicado em: 20/12/2015 10:10 Atualizado em: 20/12/2015 18:38

Izabela e Vitória mantêm o Medo da Pressa há cerca de cinco anos. Foto: Ricardo Fernandes/DP
Izabela e Vitória mantêm o Medo da Pressa há cerca de cinco anos. Foto: Ricardo Fernandes/DP


Na década de 1990, tempo de ascensão para ícones fashion rebeldes, a modelo canadense Linda Evangelista chocou o mundo ao declarar que não se levantava da cama por menos de dez mil dólares. No auge da carreira, ela se referia a cachês pagos por marcas como Versace, Ralph Lauren, Calvin Klein e Dior. Vinte anos mais tarde, por valores quase nunca revelados - pagos, muitas vezes, pelas mesmas grifes - e, guardadas as proporções, são as blogueiras que impressionam. Empoderadas pela tecnologia, elas se tornam trend-setters (lançadoras de tendências) seguidas por milhares, às vezes milhões. Referência no segmento, a pernambucana Camila Coutinho serve de exemplo (e inspiração para as recém-lançadas na carreira): acumula 1,6 milhão de seguidores no perfil pessoal no Instagram, após quase dez anos como blogueira - o Garotas Estúpidas, considerado pelo site Signature9 como um dos cinco mais influentes, foi lançado em 2006.

Na esteira do G.E (mais de 500 mil curtidores no Instagram e mais de 600 mil no Facebook), cerca de 200 endereços virtuais semelhantes estão ativos em Pernambuco, segundo estimam produtores de eventos no ramo da moda. E seguem receita: as blogueiras publicam, em média, duas fotos por dia no Instagram e três posts por semana nos respectivos sites. Não se levantam da cama para fotografar imprevistos ou crises: assim como Linda Evangelista fez nas passarelas dos anos 1990, elas desfilam o estilo de vida dos sonhos. São pagas para testar produtos de beleza e serviços estéticos, comparecer a eventos, vestir roupas de marca. Na página do F*Hits, primeira rede de network brasileira dedicada a blogs, midiakits (cujo preço é revelado somente a assinantes) catalogam o valor dos contratos entre marcas e blogueiras. Anúncios no conglomerado, estima-se, custam entre R$ 2,5 mil e R$ 40 mil.

Laurinha Marinho tem milhares de seguidores no Facebook e no Instagram. Foto: Acervo pessoal/Reprodução
Laurinha Marinho tem milhares de seguidores no Facebook e no Instagram. Foto: Acervo pessoal/Reprodução
O retorno, em forma de visibilidade e consumo, ganha contornos em pesquisas como a realizada pelo Ibope Conecta, em outubro deste ano: segundo dados, 85% das mulheres compram moda online, contra 76% dos homens. O Nordeste é a região que mais consome moda pelo celular (48% dos entrevistados o faz) e 97% das compras é feita pelo computador. Pernambucanas por trás de sites como o Medo da Pressa (22 mil curtidores no Facebook e 56 mil no Instagram), Blog Cuca Amorim (52,3 mil no Instagram) e Blog Karine Filizola (3,9 mil no Facebook e 42,5 mil no Instagram), usam as redes sociais como vitrine. Segundo a pesquisa Digital Future Focus Brazil 2015, elas estão certas: os internautas brasileiros lideram a relação de países engajados nas redes sociais. Gastam, em média, 60% mais tempo nesses canais, em relação a outros países.

No mundo real, porém, especialmente nos bastidores da moda, as blogueiras despertam reações contraditórias. “Blogueiros não têm muita cultura de moda”, declarou Godfrey Deeny, editor de moda do Le Figaro e um dos principais críticos do setor no mundo, em entrevista polêmica à imprensa internacional, no ano passado. A consultora de estilo Costanza Pascolato, considerada a papiza da moda no Brasil, partiu em defesa das bloggers em diferentes oportunidades, chegando a chamá-las de “cinderelas do momento” - comparando-as às misses e top models das décadas passadas. “Há, sim, um ‘poderzinho’ em jogo, mas prefiro nem observar este aspecto e  encarar [a internet] como uma oportunidade de compartilhar experiências estéticas e, bem eventualmente, observações sobre a rotina e o cotidiano”, disse Costanza ao Viver.

Para Jana Rosa, escritora e blogueira discidente do jornalismo de moda (154 mil curtidores no Facebook), é a fama que fascina as pessoas, não a atividade em si. “As pessoas estão encantadas com a quantidade de seguidores. Elas querem ser ouvidas, querem testemunhas. O que algumas de nós fazemos, como escrever roteiros e livros, não é isso que as pessoas querem”, analisa. Enquanto a polêmica segue, 70 mil novos endereços são registrados por dia na internet, segundo a Technorati, empresa especializada na análise de blogs. E as blogueiras estão satisfeitas com a função. Ao menos, aparentam. Afinal, como uma das pernambucanas recém-iniciadas no ramo adverte, “TPM e tristeza não vendem. O que vende é a imagem da mulher realizada que todas querem ser.”
    
SAIBA MAIS: Para ler
Depois dos quinze - quando tudo começou a mudar (Gutemberg, R$ 36,90)
Na obra, a blogueira Bruna Vieira relata as mudanças vividas por ela na adolescência, em crônicas que envolvem a criação do blog Depois dos quinze (895 mil curtidores no Facebook). Viagens, dilemas pessoais e a rotina como blogueira estão entre os temas.

Cupcakes and cashmere (Harry N. Abrams, R$ 85,50)
Ainda sem tradução para o português, o livro é assinado por Emily Schuman, blogueira do Cupcakes and Cashmere. Além de dicas de organização da casa e do próprio estilo, ela aproveita relatos do site para falar sobre looks do dia, moda e plano de metas pessoais.

>> OS DEZ MANDAMENTOS DAS BLOGUEIRAS

PRIMEIRO MANDAMENTO
Empreenderás

"É um negócio como outro qualquer.”

Com investimento estimado em torno de R$ 5 mil, a empresária cearense radicada em Pernambuco Gedai Silton, de 28 anos, deu início a blog homônimo há cinco meses. Da contratação de cabeleireiro e maquiador à organização de festa de lançamento do site, Gedai estima que o investimento ficaria em torno dos R$ 30 mil sem ajuda de patrocinadores - marcas de bebida cederam espumante para o evento, por exemplo, em troca de propaganda. "Encaro o blog como uma empresa. Blogueiras precisam se posicionar no mercado, elaborar plano de negócios, conhecer o público-alvo, traçar metas", diz. Apesar do pouco tempo no ar, ela afirma que o blog pode sustentá-la. Para isso, Gedai oferece "combos" às empresas anunciantes, que vão dos publiposts (posts patrocinados) aos editoriais de moda (fotos posadas com produtos do contratante). Os acessos oscilam entre 14 mil e 20 mil por mês e servem de argumento nas negociações. "As pessoas precisam parar de enxergar os blogs como um hobby. É um negócio."

SEGUNDO MANDAMENTO
Viajarás

"Há o glamour, mas também a realidade."

Embora pareça divertido e glamouroso, viajar com frequência pode ser cansativo, além de oneroso. A pernambucana Cuca Amorim, que mantém blog homônimo há três anos, vive com o marido em Brasília desde o ano passado e volta ao Recife pelo menos uma vez por mês. "O foco do meu trabalho está em Pernambuco. É onde comecei, onde estão as marcas parceiras, onde fecho contratos e produzo editoriais, além de marcar presença em eventos", lista Cuca, de 29 anos. Hoje, ela se dedica ao site em tempo integral, o que requer investimento (não revelado) para o trânsito entre os dois estados. Quando em Pernambuco, as malas permanecem prontas: viagens a praias do litoral nordestino para sessões de fotos são frequentes. "Minha rotina é muito mais atribulada do que antes, quando estudava para concursos públicos em casa, mas tenho autonomia para decidir aonde ir e quando ir. Isso faz toda diferença", reforça.

TERCEIRO MANDAMENTO
Inovarás

"Fiz o que ainda não havia sido feito."

Nascida em Arcoverde, no Sertão pernambucano, Rebeca Pacheco, de 33 anos, foi uma das pioneiras no segmento de blogs no interior do estado. Funcionária pública, decidiu dedicar o tempo livre à paixão pela moda, garimpando tendências em centros de compras da capital pernambucana e de outros estados, exibindo os "achados" em Carpina, onde vive. Looks antenados com os últimos apelos fashion renderam a sugestão das seguidoras no Instagram: por que não se tornar blogueira? A decisão de seguir o conselho, por sua vez, rendeu a Rebeca parcerias com marcas locais. "Surgiram convites para divulgar produtos, comparecer a eventos. Estou amando! Me tornei conhecida nas cidades da região", comemora. Ela ainda não encara a atividade como fonte de renda e, por ora, troca as propagandas por produtos ou serviços. "Fiz algo diferente no interior, e isso chamou a atenção. Ganho convites para festas em Carpina, Paudalho, Nazaré da Mata e localidades próximas."

QUARTO MANDAMENTO
Farás parcerias

"Toda parceria é muito bem vinda."

Para manter um blog ativo, especialmente nos primeiros meses, as parcerias - especialmente as permutas entre serviços e divulgação - são fundamentais. As pernambucanas Vitória Cabral, de 23 anos, e Izabela Melo, de 22, trabalham juntas como blogueiras desde 2010, e têm colaboração nos bastidores dos três posts semanais publicados no site. “Temos uma videomaker e fotógrafa como parceira, Jan Ribeiro, cuja empolgação torna o trabalho em equipe ainda mais prazeroso. Outras pessoas como Higor Cayo e Cássia Costa já deixaram sua colaboração para chegarmos à plataforma que temos hoje", menciona. Amigos também já se transformaram em co-autores, além da parceria principal, entre as duas blogueiras, que administram o Medo da Pressa. Vitória recomenda, porém, firmar acordos com marcas afins. "As parcerias precisam compor nosso estilo, não o contrário", adverte.

QUINTO MANDAMENTO
Serás ativa nas redes sociais

“Nossas obrigações são mais virtuais.”

As redes sociais são o principal canal de comunicação entre blogueiras e leitores, além de vitrine para anunciantes e marcas parceiras. Os horários são planejados com base em pesquisas feitas pelas próprias bloggers ou por empresas que analisam comportamento na internet. “Marcamos com os clientes as datas e horários em que os posts entrarão no ar. Conheço meus leitores e sei os períodos em que estão online”, diz Karine Filizola, dona de blog homônimo. Ela considera o Instagram sua rede mais forte, seguida do YouTube: no primeiro, publica duas fotos diárias, mas, em caso de festa, o número sobe para quatro. “Muita foto também enjoa!”, brinca. Os looks do dia, produzidos em cenários escolhidos a dedo, estão entre os posts mais curtidos. Muitas blogueiras recomendam a postagem nas redes antes das 9h e após as 19h, especialmente no Instagram. “Tento ser o mais natural possível, passar realmente o que está acontecendo naquele momento”, completa Karine.

SEXTO MANDAMENTO
Renovarás teu site periodicamente

“Traçamos estratégias para atrair mais leitores.”

Quando criou o blog, há três anos, a pernambucana Dolores Oliveira intitulou o site de Dona ChicChic. Depois, percebeu que o próprio nome era mais lembrado entre marcas parceiras do que o título do site. Decidiu, então, reformar o blog, temporariamente fora do ar. “O layout está mudando e o domínio na web também”, explica Dolores. No Google, em 0,36s, são encontrados 32,9 mil resultados para a pesquisa “layout para blog”, entre plataformas gratuitas com design pré-definido e páginas dedicadas a produzir a identidade visual sob encomenda. A pessoa ou empresa contratada envia opções de cores e planos de fundo e, junto com a blogueira, reformula o site, que é retirado temporariamente do ar. Renovar o layout pode ser uma forma de, periodicamente, atrair a atenção dos leitores, com eventos (virtuais ou reais) dedicados a apresentar as novidades. “O site será relançado em janeiro. Para a mudança, fizemos um estudo com o objetivo de atingir entre 50 mil e 60 mil acessos mensais”, detalha Dolores.

SÉTIMO MANDAMENTO
Farás teus próprios horários

“Vou fazendo tudo de acordo com a necessidade e o tempo livre.”

A manutenção independente de um site confere autonomia à blogueira, mas requer disciplina na gerência dos compromissos. A potiguar radicada em Pernambuco Ana Lu Fragoso, 36 anos, percebeu a dificuldade em administrar os próprios horários e os do site depois que virou mãe, há dois anos. Antes, a rotina era fixa: um intervalo para fotos, outro para textos. “Virava as noites editando o material. Depois que Luca nasceu, faço as coisas sem sequência certa, de acordo com a necessidade e o tempo livre”, conta a jornalista, que também trabalha como produtora de conteúdo. “Além de atualizar o Oxente Menina, preciso conciliar com os afazeres domésticos, as necessidades de Luca e os textos que preciso enviar para clientes”, lista Ana Lu. Nas redes sociais, estabelecer metas é receita eficiente: um post diário no Snapchat, no Facebook e no Instagram, por exemplo, pode ser um bom começo, sem deixar de reservar espaço na agenda para comparecer a eventos e prospectar parceiros.

OITAVO MANDAMENTO
Te concentrarás no público-alvo

“É gratificante perceber que seus leitores se identificam com seu estilo.”

Conhecer o perfil dos leitores é fundamental para que a blogueira consiga fidelizá-los. Para isso, elas fazem questionários e monitoram a origem dos acessos através de ferramentas oferecidas pelos próprios sites. A pernambucana Ana Karlla Assis, de 42 anos, por exemplo, direciona as postagens do blog Viva Seu Estilo - cujas redes sociais têm o subtítulo “Para as Belas de 40” - para mulheres acima dos 40 anos de idade. Os assuntos de interesse das mulheres acima dos 40 publicados no blog são fruto de pesquisas em revistas de moda e olhares atentos para o que está sendo usado nas ruas. “Minha conduta é aderir às tendências pertinentes ao meu corpo e à minha idade. Recomendo somente produtos que usaria na vida real. Tem que estar intimamente ligado ao meu estilo”, explica Ana, cujo trabalho é facilitado por estar na mesma faixa etária das leitoras.

NONO MANDAMENTO
Aprenderás a lidar com a fama

“A internet faz isso com todo mundo.”

A pernambucana Laurinha Marinho tem 28 anos, é bailarina, assina vestidos para noivas e deu à luz recentemente a pequena Aurora. Essas são informações pessoais, mas compartilhá-las faz parte da rotina de blogueira. Ao postar uma foto com o noivo e a filha no Instagram, por exemplo, a intimidade com as leitoras se fortalece. Elas passam a ter a sensação de familiaridade com Laurinha - cujo nome no diminutivo reforça essa impressão. Embora não se considere famosa, ela já foi abordada por leitoras em espaços públicos. “Elas sabem tudo o que se passa na minha vida. Algumas mandam mensagem dividindo suas angústias e pedindo conselhos”, conta a blogger. Mas a fama tem seu preço. “Tenho muito cuidado com as palavras que uso. Somos muito julgadas. Existe um preconceito grande em relação a blogueiros”, comenta. Críticas ao figurino, à forma física e ao comportamento delas são comuns, geralmente publicadas nas redes sociais pelas próprias leitoras. A sensação de intimidade é o que encoraja o público a opinar, mesmo em temas pessoais.

DÉCIMO MANDAMENTO
Cuidarás da tua aparência

“Antes, o sonho das garotas era ser modelo. Hoje querem ser blogueiras.”

Como celebridades da internet, as blogueiras prezam pela boa aparência. O cabelo bem cuidado, as unhas bem feitas (e as idas à manicure), as roupas estilosas e as sessões de cuidados dermatológicos fazem parte do show. Giovanna Zirpoli, cuja família tem tradição no ramo de vestuário, tem contato com a moda desde a infância, muito antes de criar blog homônimo. Os looks e dicas que expõe no site são inspirados em revistas internacionais e blogs de referência. “Todas as roupas, acessórios ou qualquer outra coisa que uso são escolhidos por mim”, declara Giovanna, cujo figurino e cabelo comprido são cobiçados em comentários nas redes sociais - no Instagram, publica duas ou três fotos por dia. “Com família no ramo da moda, todos colaboram de alguma forma”, explica. Além do gosto pessoal, Giovanna planeja o modo de vestir e ditar tendências a partir do que vê nas ruas. “Muitas vezes, são as ruas que ditam a moda. Não o contrário.”

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.