• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Moda De Wesley Safadão a Anitta: artistas transformam o visual em nome da fama; veja o antes e o depois Por ocasião de lançamentos ou para marcar nova fase das carreiras, artistas mudam visual e ressurgem, periodicamente, com imagem repaginada

Por: Larissa Lins - Diario de Pernambuco

Publicado em: 30/11/2015 20:38 Atualizado em: 30/11/2015 21:48



“Se hoje estou com vontade de usar roupa mais chique, eu uso. Se quero ficar mais esportivo, eu fico. É o que me vem à cabeça na hora.” A declaração de Pablo, cantor e compositor do gênero arrocha, contraria a lógica da moda aplicada no show business, quase nunca regida pelo que vem à cabeça do artista. Nos shows do recém-lançado Desculpe aí (Som Livre, R$ 14,90), uma nova versão do cantor baiano surgiu diante dos fãs: óculos de grau, cavanhaque mais encorpado, cabelo bem curto e roupas de tonalidade sóbria substituem os penteados com gel, a sobreposição de camisas em cores fortes e as sobrancelhas maquiadas. As mudanças incluem Pablo numa lista de artistas cujas transformações visuais marcam nova fase nas carreiras ou o retorno a um estilo próprio - suprimido, ao adentrar o mercado da música, em função de padrões.

Para o consultor pernambucano Diego Rocha, professor do curso de Design de Moda da Faculdade Senac, dois efeitos são provocados no público a partir da identidade visual do artista: a identificação e a projeção. No primeiro caso, os fãs se reconhecem no ídolo, geralmente a partir de elementos típicos de determinada região do país. No segundo, os ouvintes e espectadores veem no músico aquilo que desejam ter ou quem desejam ser.

“Ao iniciar a carreira, os artistas se adaptam a estereotipos, a fim de se enquadrar ao mercado. Com isso, perdem um pouco da identidade, correm o risco de se padronizar. Mas depois de estabelecidos, eles incorporam detalhes do estilo próprio, seja um acessório, um corte de cabelo, uma peça de roupa”, observa Diego. Essa postura, assumida em posição de segurança (Pablo, por exemplo, já fidelizou fatia de mercado com hits como Bilu Bilu e Porque homem não chora) é arriscada, segundo o especialista: alguns fãs passam a não reconhecer o ídolo e se afastam dele.

Avaliar se o risco vale a pena é uma das funções do consultor de estilo, que leva em conta fatores como público-alvo, gênero musical e personalidade do artista. Esses critérios determinam, por exemplo, se um artista dedicado ao sertanejo deve vestir camisa quadriculada e botas (gênero universitário) ou chapéu e sandália de couro (gênero tradicional). Embora ousada, a mudança de figurino pode ser útil: segundo o especialista pernambucano, serve como estratégia para apontar transformações no direcionamento da carreira. Como fez Lady Gaga, ao abrir mão dos exageros que lhe conferiram o apelido de “little monster” e se engajar com o jazz, em parceria com Tony Bennett: penteados e figurino clássicos tomaram o lugar da extravagância pop. “Isso distancia os fãs originais, aqueles captados por identificação ou projeção, no início da carreira. Mas deixa claro que algo mudou”, explica Diego. “A exceção é quando a mudança é característica do artista, como no caso de Madonna, que se reinventa a cada álbum. O público já espera por isso”, pontua.

>> Transformações

Em mercados mais competitivos, com artistas novos a cada temporada - como ocorre, por exemplo, no sertanejo e no brega, e como ocorria, nos anos 1990, no pagode - a mudança de visual é mais frequente. Os ídolos precisam se “reinventar” para sinalizar nova fase na carreira, manter-se competitivos e se adequar aos padrões.  

Pablo

Entre 2010 e 2015, Pablo deixou de lado o cavanhaque desenhado, as sobrancelhas maquiadas e o rosto com contorno marcado. O cabelo propositalmente “bagunçado” com gel deu lugar ao corte com máquina. “Não aguentava mais ter que acordar sempre uma hora antes para arrumá-lo”, declarou o artista sobre os fios. A sobreposição de camisetas de cores fortes (rosa, amarelo, vermelho, verde limão…) deu lugar aos tons sóbrios, como cinza, preto e branco. Peças em jeans também são novidade, tornando os looks mais esportivos, equilibradas pelos óculos de grau, recém-incorporados, que dão ar mais formal ao artista.

Pablo adotou cores mais sóbrias nas roupas e menos maquiagem. Fotos: Reprodução da internet
Pablo adotou cores mais sóbrias nas roupas e menos maquiagem. Fotos: Reprodução da internet


Wesley Safadão

Entre 2003 (quando a banda Garota Safada lançou Garota Safada Vol. 01) e 2015, Safadão abandonou os longos cabelos estirados sobre os ombros - no princípio, com aparência molhada, depois, escovados - e adotou o coque samurai com sidecut (cabelo raspado nas laterais). Em entrevista, declarou que a mudança foi motivada por praticidade. As camisetas estampadas acompanhadas de colete deram lugar às camisas de botão com calças apertadas, depois às regatas. Pulseiras de miçangas foram descartadas, assim como os cintos com fivela exagerada.

Safadão prendeu o cabelo e trocou as roupas. Fotos: Reprodução da internet
Safadão prendeu o cabelo e trocou as roupas. Fotos: Reprodução da internet


Anitta
A cantora é um case de planejamento estético do show business. Trocou o próprio nome (de Larissa para Anitta) e fez intervenções plásticas (operou nariz, barriga e seios). O figurino migrou do street style - roupas rasgadas, coladas ao corpo, peças em jeans, casacos esportivos amarrados na cintura - para o lady like - vestidos modelados, saltos altos, aplicações em renda, bordados e tonalidades mais claras. Nas aparições públicas mais recentes, Anitta mistura peças sofisticadas a outras mais informais, como short rasgado e sapato scarpin. Em entrevistas, Anitta chegou a declarar que as mudanças não são estratégicas, mas espontâneas. Não convenceu.

Anitta mudou nome, fez plásticas e adotou visual lady like. Fotos: Reprodução da internet
Anitta mudou nome, fez plásticas e adotou visual lady like. Fotos: Reprodução da internet


Solange Almeida

Após cirurgia bariátrica (redução de estômago) realizada em 2008, Solange perdeu 50 quilos, adotou novo estilo e contratou personal stylist para comprar e montar todos os looks. Seios, barriga e bumbum também foram operados nos anos seguintes. Tecidos mais simples, como a lycra, deram lugar aos paetês. Roupas sem corte foram substituídas por modelitos feitos sob medida, geralmente de grife. O cabelo cacheado ficou liso e repicado, na altura dos ombros, em tom de marrom acobreado.

Solanja fez redução de estômago e, a partir disso, adaptou figurino. Fotos: Reprodução da internet
Solanja fez redução de estômago e, a partir disso, adaptou figurino. Fotos: Reprodução da internet


Belo
Além do corpo, agora malhado, Belo mudou radicalmente o corte do cabelo e o figurino. Os fios descoloridos saíram de cena, junto com as correntes prateadas do pescoço. O cabelo escureceu e o sorriso “torto” foi consertado. Em algumas ocasiões, tem combina jeans e terno, obtendo aparência high and low. Chegou a declarar que a esposa, Gracyanne Barbosa, seria a principal responsável por planejar as transformações.

Belo mudou cabelo, figurino e dentes. Fotos: Reprodução da internet
Belo mudou cabelo, figurino e dentes. Fotos: Reprodução da internet



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.