• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Moda As primeiras tendências da semana de moda de Nova York para as próximas temporadas Confira um resumão das primeiras apostas lançadas na New York Fashion Week, que termina nesta quinta-feira

Por: Larissa Lins - Diario de Pernambuco

Publicado em: 19/02/2015 09:10 Atualizado em: 18/02/2015 20:31

A Semana de Moda de Nova York, uma das mais importantes do circuito fashion global, é a primeira a lançar tendências que serão replicadas em Londres, Paris e Milão - e que, em seguida, ganharão as vitrines e ruas. O Viver preparou um resumão de tendências que você pode colocar em prática mesmo sem ter acompanhado de perto o evento da Big Apple, que termina nesta quinta.

As tendências da Big Apple devem ser replicadas nas próximas semanas de moda. Foto: mbfashionweek.com/Reprodução
As tendências da Big Apple devem ser replicadas nas próximas semanas de moda. Foto: mbfashionweek.com/Reprodução


CORES SÓBRIAS
Apesar dos canutilhos, tachas e lantejoulas dando o arremate das peças, os vestidos bandage da grife Hervé Léger mostraram que as cores sóbrias serão must have. Branco, preto e azul foram os tons predominantes: sóbrios, porém sensuais. A Diesel, famosa por looks ousados e supersexies, subiu à passarela com composições 100% black. Saias plissadas, couro e oxdords pesados abriram caminho para uma coleção mais madura. A grife assinada por Victoria Beckham seguiu a mesma tendência: casacos de tweed longos e bem estruturados em cores sóbrias. Na primeira fila do desfile, o marido David Beckham e os filhos do casal assistiram à apresentação vestidos de preto.

GOLA ALTA
Justas ou em modelagens mais folgadas, as golas altas prometem voltar à tona nas semanas de moda de Londres, Paris e Milão. Em Nova York, foram exibidas por Alexander Wang, Derek Lam, DKNY e Altuzarra. As chamadas golas rulê surgem não apenas em camisas, mas também em jaquetas, como nos anos 1970. Junto às calça flare de boca larga, são símbolo da década paz e amor.

Cores sóbrias, como o preto, e golas altas, foram destaques.  Foto: mbfashionweek.com/new-york/Reprodução
Cores sóbrias, como o preto, e golas altas, foram destaques. Foto: mbfashionweek.com/new-york/Reprodução


LISTRAS
Antes restrita ao armário masculino, a risca de giz promete ganhar espaço no guarda-roupa das mulheres em versões repaginadas nas próximas temporadas a partir do inverno 2015. A grife Timo Weiland apostou em listras mais estreitas e intervalos regulares, tudo em tonalidades sóbrias. Um certo “pijamismo” foi percebido por fashionistas e críticos, já que o repertório de peças incluiu camisas, calças, casacões e cardigans em tamanhos exagerados. Conforto pareceu primordial. Frame Denim investiu nas listras azuis e brancas, em peças com corte formal - apropriadas para o ambiente de trabalho. Enquanto isso, Nicholas K imprimiu a estampa listrada em blazers compridos e calças no modelo flare. Mais espaçadas e finas do que na versão Beetlejuice (Os Fantasmas se divertem) que tomou conta das ruas em temporadas anteriores, as listras prometem voltar com roupagem de alfaiataria, como “pijamas” sofisticados.

As listras estão entre as principais apostas. Foto: mbfashionweek.com/new-york/Reprodução
As listras estão entre as principais apostas. Foto: mbfashionweek.com/new-york/Reprodução


CÍLIOS TEXTURIZADOS

James Boehmer, maquiador e diretor artístico global da Nars, atuou nos bastidores do comentado desfile da coleção Creatures Of The Wind, inspirada na cultura americana dos anos 1970. Em entrevistas após a atuação das modelos nas passarelas, Boehmer revelou um segredo para o volume dos cílios de suas “criações”: entre uma camada e outra de máscara para cílios, ele aplica sobre os pelos uma camada de pó. Segundo ele, foram necessárias cerca de 12 camadas de rímel, intercaladas com pó, para chegar ao resultado final. “Basta aplicar o pó com pincel de sombra, entre uma camada de máscara e outra, como no processo de fabricação de pães”, declarou. No desfile da Rodarte, cílios texturizados também tiveram vez. James Kaliardos, maquiador responsável pela produção, usou pequenas tiras de cristais aplicadas abaixo dos olhos com auxílio de cola para cílios postiços. Foram usados cerca de mil cristais Swarovski.

Cerca de mil cristais foram usados nos bastidores dos desfiles.  Foto: mbfashionweek.com/new-york/Reprodução
Cerca de mil cristais foram usados nos bastidores dos desfiles. Foto: mbfashionweek.com/new-york/Reprodução


SERIEDADE
Peças mais “sérias” ganham destaque nas próximas estações. No intuito de empoderar a figura feminina, Diane Von Fustenberg, por exemplo, mesclou vestidos sensuais - com fendas e transparências - com ternos, blazers e coletes masculinizados. A ideia nos bastidores era transmitir a imagem de uma mulher competitiva, que está no comando mas também inspira fantasias. A trilha sonora do filme Cinquenta tons de cinza, inclusive, foi usada na passarela, a fim de remeter aos conflitos de submissão e dominação latentes no enredo. Ternos, blazers, tailleurs e coletes mais compostos devem ganhar espaço no guarda-roupa a partir de então. Tory Burch investiu na mesma tendência, equilibrando a aparência mais séria através de maxiacessórios dourados, como colares e gargantilhas, e blusas com laços no pescoço.

CAMISARIA BRANCA
A velha camisa branca de botão guardada no fundo do armário deve compor boa parte dos looks do outono/inverno anunciados em Nova York. Virou quimono no desfile da grife Josie Natori, vestido no desfile da Versus Versace, look comportado na House of Sadia e ganhou ares de militarismo na coleção da Marissa Webb. Versátil, continua em alta e vale sempre o espaço ocupado no armário.

Camisa branca ganha várias roupagens.  Foto: mbfashionweek.com/new-york/Reprodução
Camisa branca ganha várias roupagens. Foto: mbfashionweek.com/new-york/Reprodução


OVERSIZED

Não foram poucos os estilistas que apostaram em peças oversized nas passarelas novaiorquinas esta semana. Mas Donna Karan foi, sem dúvidas, uma das principais representantes da tendência. A grife DKNY desfilou mangas compridas e folgadonas, que davam um tom “desleixado” porém formal à aparência das modelos. Jill Stewart também exibiu maxivestidos cheios de charme. O frio do inverno em NY não é a única justificativa para a aposta da temporada. Conforto para acompanhar a versatilidade da rotina das mulheres modernas seria um dos principais motivos para esse tipo de desenho. As calças de alfaiataria de Derek Lam atestam isso. Looks adaptados do guarda-roupa masculino servem, muitas vezes, de matéria prima para o design final. E ainda remetem ao ideal da igualdade de gêneros. Conforto e autoconfiança seriam palavras-chave ao vestir um look oversized. Um bom primeiro passo para testar essa tendência pode ser vestir uma camiseta ou casaco do irmão, namorado, marido…

Peças em tamanho maior denotam conforto e autoconfiança.  Foto: mbfashionweek.com/new-york/Reprodução
Peças em tamanho maior denotam conforto e autoconfiança. Foto: mbfashionweek.com/new-york/Reprodução


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.