• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Repaginado Paço Alfândega terá visual e conceito novos Centro de compras vai passar por revitalização e fará mudanças na distribuição de lojas e serviços

Por: Thatiana Pimentel

Publicado em: 20/08/2016 11:11 Atualizado em: 20/08/2016 15:40

As mudanças no Paço Alfândega terão início na próxima semana e devem durar oito meses. Foto: Paulo Paiva/DP
As mudanças no Paço Alfândega terão início na próxima semana e devem durar oito meses. Foto: Paulo Paiva/DP


Com um investimento de R$ 5 milhões, o shopping Paço Alfândega deve estar em 2017 com uma cara completamente diferente. A primeira mudança será na própria distribuição do mall, que terá espaço gastronômico no térreo, primeiro andar voltado a serviços e moda e segundo piso focado em tecnologia e fast foods. Também está prevista uma academia.

O responsável pelo projeto é o designer alemão Rudolf Piper, famoso por assinar o visual de casas noturnas internacionais como o lendário Studio 54, em Nova York e o Buddha Bar e a Provocateur, em São Paulo. Ele promete manter o aspecto histórico do Paço com suas paredes de tijolos e grandes arcos, mas irá acrescentar modernidade ao mall com alterações na iluminação, nas entradas e novos detalhes arquitetônicos. Até a logomarca ficará diferente. As mudanças terão início na próxima semana e devem durar oito meses.

“Nossa ideia é criar um novo modelo de shopping voltado para serviços e para o encontro das pessoas. Hoje, o consumo mudou. Não existe mais uma demanda por consumo desenfreado”, afirma Hélio Azevedo, superintendente do shopping. Com esse intuito, a reforma também deverá explorar o potencial turístico do Paço, com espaços que privilegiem a vista para o Rio Capibaribe. “Queremos transformar todo o bairro, atendendo a própria população do Recife Antigo e fortalecendo os pontos fortes da região, entre eles o turismo”, detalha Piper, que revela ser este seu primeiro projeto no Nordeste brasileiro.

“Visitei o Paço e me apaixonei pela região. Existe um charme no bairro que ainda não foi explorado. Eu trabalho na indústria da hospitalidade e é justamente isso que busco no shopping: torná-lo um ponto interessante, atraente e não apenas um centro de compras. Queremos criar uma nova experiência de consumo e socialização”, ressalta.

A incorporação de espaços externos na reforma também está sendo avaliada pelo designer. “Vamos buscar o máximo de integração possível entre o mall e o bairro”, completa. Outras mudanças previstas são a chegada de uma grande empresa de coworking para dividir o segundo piso com a praça de alimentação e com o Fab Lab (laboratório de prototipagem urbana) e a incorporação de bares e lojas de produtos alimentícios segmentados no espaço gastronômico do térreo.

Estacionamento
A gestão do shopping conseguiu na Justiça a reintegração do estacionamento. O prédio estava sendo disputado entre a administração atual e o grupo Cais do Recife Participações, que foi responsável pela construção do prédio, em 2003. Na última terça-feira, por decisão judicial, todo o edifício garagem voltou para o centro de compras. A estrutura custou, na época, R$ 15 milhões e tem capacidade para receber 3,5 mil veículos.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.