• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Fomento Programa de aceleração do Sebrae contempla pequenas empresas da moda Top Five dá consultoria por 12 meses a cinco marcas que participam do SPFW como expositoras. Melhor pontuada desfila no evento em 2016

Por: Agência Sebrae de Notícias - ASN

Publicado em: 21/10/2015 13:00 Atualizado em: 21/10/2015 13:26

Amabilis é uma das cinco empresas que participarão da consultoria do Top Five. Foto: Regiane Estima/Divulgação
Amabilis é uma das cinco empresas que participarão da consultoria do Top Five. Foto: Regiane Estima/Divulgação
Cinco pequenas empresas brasileiras vão disputar espaço para desfilar no São Paulo Fashion Week (SPFW), em maio de 2016. O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Instituto Nacional de Moda e Design (In-Mod) lançaram uma nova ação do projeto Contextualizar Moda II, que tem o objetivo de mapear, preparar e permitir a inserção dos pequenos negócios no mercado de alto valor agregado da moda.

Batizada de Top Five, a iniciativa vai acompanhar por 12 meses a atuação de cinco empresas brasileiras, inclusive dando consultoria para o desenvolvimento de coleções. A melhor pontuada vai dividir o palco com estilistas e marcas renomadas no maior evento do calendário de moda no Hemisfério Sul.

As cinco marcas participam da 40ª edição do SPFW como expositoras da loja FFWShop (antiga Pop-Up), que funciona dentro do evento, no Pavilhão da Bienal do Ibirapuera, em São Paulo, até 23 de outubro. A exposição das marcas na loja também é uma ação do projeto Contextualizar Moda II.

O Top Five tem uma dinâmica voltada para a aceleração de negócios e vai apoiar o empreendedor de moda em diversos aspectos, desde estruturação da coleção, conceito do produto e preço, à comunicação da empresa. Com isso, é possível melhorar a rede de contatos e propiciar a participação direcionada em plataformas de imagem e negócios de forma que as empresas alcancem a excelência no mercado.

As primeiras atividades do projeto foram iniciadas em abril de 2015 com o processo seletivo que avaliou 20 pequenos negócios em oito estados brasileiros, indicados pelas unidades estaduais do Sebrae, e escolheu os primeiros integrantes da aceleradora: as empresas Green Co e Jardin, de Minas Gerais, Amabilis, do Espírito Santo, PH Praia, do Rio de Janeiro, e Adriano Martin, de São Paulo.

Durante a fase de seleção, cada um dos 20 negócios indicados foi avaliado nos quesitos marketing, branding e estratégia comercial, gerando 60 diagnósticos especializados, que foram disponibilizados para as empresas. O objetivo é ajudar a promover melhorias no empreendimento, de acordo com os consultores.

Apoio

As cinco escolhidas para seguir no projeto receberão o acompanhamento de um time multidisciplinar especializado em conceito do produto, branding e comercialização, e terão apoio para o desenvolvimento de duas coleções. Durante o programa de aceleração as empresas também vão participar de uma feira, com subsídio do Top Five.

O objetivo é aumentar as vendas em atacado, além de garantir vivência de varejo, apresentando criações na FFWSHOP por duas edições do São Paulo Fashion Week. Ao final de um ano do processo de incubação, a empresa que mais se destacar será premiada com um desfile no SPFW.

“Esse programa tem potencial para fomentar e disseminar casos de sucesso que sirvam de exemplo para os empreendedores da moda vencerem os desafios do mercado”, diz a diretora técnica do Sebrae, Heloisa Menezes. De acordo com a diretora do In-Mod, Graça Cabral, a iniciativa propicia a possibilidade de aprofundamento no processo de gerenciamento e produção em todas as aéreas. “Além disso, o SPFW é um grande e importante meio de marketing e comunicação”, ressalta.

As micro e pequenas empresas (MPEs) somam mais de 95% do total de empresas formais no Brasil. Na indústria da moda, que emprega 2,4 milhões de pessoas no país, 98% das empresas são pequenos negócios.

Sobre o convênio

O projeto Contextualizar na Moda surgiu da necessidade de inserir as micro e pequenas empresas brasileiras no mercado de alto valor agregado do segmento. As empresas escolhidas são alvo de uma programação intensa de consultorias, capacitações, palestras e participações em feiras, oficinas e exposições, tendo acesso inclusive aos bastidores do SPFW.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.