• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Empreendedorismo e negócios Donos de brechós discutem inovação com o Sebrae Novos fóruns sobre o segmento serão realizados a partir em diferentes cidades do Brasil

Por: Agência Sebrae de Notícias - ASN

Publicado em: 02/06/2015 11:23 Atualizado em:

Empresários de moda que atuam no nicho de brechós terão uma nova oportunidade de se reunir com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e debater os desafios e as perspectivas do segmento no país.

O Sebrae vai promover mais três edições do Fórum de Debates sobre o Mercado de Brechós que, em 2014, percorreu quatro capitais do país. O foco, desta vez, é discutir com os donos dos pequenos negócios como eles podem inovar para se diferenciar no mercado. O encontro também vai abordar o comércio on line de roupas usadas, experiência de compra e a importância do associativismo entre os empresários.

Por representar um mercado de baixo risco – já que a concorrência ainda é pequena, o público é bem diversificado e o investimento inicial é relativamente baixo –, os brechós surgem como boa oportunidade de negócio para quem deseja abrir uma empresa. Levantamento do Sebrae aponta que no comércio varejista de artigos usados o número de pequenos negócios – aqueles com faturamento anual de até R$ 3,6 milhões – cresceu 210% em cinco anos, passando de 3.691, em 2007, para 11.469, em 2012.

O Fórum de Debates sobre o Mercado de Brechós aconteceu na semana passada, em Porto Alegre (RS). O Rio Grande do Sul conta com cerca de 1,2 mil estabelecimentos de artigos usados de pequeno porte. Em 2007, o estado contabilizava aproximadamente 300 lojas do segmento. Até setembro, o evento também passará por Goiânia (GO) e Campo Grande (MS). O Recife ainda não está no calendário do fórum este ano, mas poderá ser inserido em edições futuras. Ano passado, o Fórum de Debates sobre o Mercado de Brechós aconteceu em São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Brasília.

Durante os fóruns realizados no ano passado, o Sebrae fez uma pesquisa com os empresários para saber quais as principais dificuldades enfrentadas pelos negócios. Os resultados apontaram a experiência de compras, a inovação e o associativismo como questões importantes a serem abordadas e de interesse dos brechós para aumento da competitividade. “O sucesso dos encontros promovidos em 2014 superou as expectativas. Recebemos solicitações de brechós do Rio Grande do Sul, Goiás e Mato Grosso do Sul para que o evento fosse realizado também nesses estados”, destaca a diretora técnica do Sebrae, Heloisa Menezes.

O Sebrae, atento à movimentação do mercado, identificou sete nichos de moda que vêm sendo alvo de investimento dentre os 800 mil pequenos negócios no Brasil. Além dos brechós, moda plus size, moda gestante, moda sustentável, moda gospel, moda streetwear e moda country são nichos de mercado que podem ser encarados como uma oportunidade de negócio para os empreendedores. “Elaboramos uma cartilha que traz estratégias de diferenciação, cenários e perspectivas para serem exploradas pelas empresas desses nichos de moda”, informa a diretora do Sebrae.

Com soluções em gestão empresarial para oferecer a esses sete nichos, o Sebrae tem feito dos encontros entre os empresários uma oportunidade para conhecer melhor quem atua nesse nicho de moda no Brasil e ajudá-los a tornar suas empresas mais competitivas e sustentáveis. Atuar em nichos de mercado exige, por exemplo, uma compreensão sobre o público, que é formado por consumidores mais exigentes quanto ao conceito do produto e da sua cadeia produtiva. Assim, é preciso entender, ainda mais, suas necessidades, anseios, percepções e comportamento. A cartilha sobre nichos da moda está disponível no portal do Sebrae em http://www.bibliotecas.sebrae.com.br/chronus/ARQUIVOS_CHRONUS/bds/bds.nsf/c753eade63d2e51bd3814d9f877c7298//5326-a.pdf.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.