• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Folia Pernas grafitadas viram moda no carnaval Com desenhos ou frases coloridas, a moda surgiu na periferia do Recife e se dissemina nas comunidades desde as prévias

Publicado em: 15/02/2015 10:00 Atualizado em: 13/02/2015 15:41

Ana Paula Maria França e Kennya Ferreira pintam as pernas para sair no Bloco dos Lisos. Foto: Bernardo Dantas/DP/D.A Press. (Crédito: Bernardo Dantas/DP/D.A Press.)
Ana Paula Maria França e Kennya Ferreira pintam as pernas para sair no Bloco dos Lisos. Foto: Bernardo Dantas/DP/D.A Press.
Toda forma de expressão é também ferramenta de autoafirmação. Na busca por uma identidade em meio à multidão de foliões, a periferia recifense transcende o conceito de fantasia e mostra no corpo a real democracia do carnaval. Se os meninos têm os cabelos coloridos, as meninas têm as pernas grafitadas. Uma transposição fluorescente da arte urbana das paredes para marcar o direito dado por Momo a todos nós de aproveitar de qualquer jeito a folia.

Ninguém dá nome ao criador da moda, mas ela se dissemina como vento nas comunidades do Recife, desde as prévias. Dia de festa é dia de colocar um short curto para aproveitar o máximo de espaço na perna e correr para o grafiteiro mais próximo. Por R$ 15 é possível fazer desenhos ou frases. As campeãs de pedido são o nome dos blocos preferidos, apelidos e, principalmente, o nome dos namorados.

“Bomba muito no carnaval. Tem até homem começando a pedir”, conta o grafiteiro Angelo Hipnose, responsável por “fazer a perna” das meninas da comunidade do Cardoso, no bairro da Torre, usando o aerógrafo. A tinta, garante ele, é atóxica e sai com algumas lavagens.

Tinta é atóxica, segundo os grafiteiros, e dura até uma semana na pele. Foto:  Bernardo Dantas/DP/D.A Press. (Crédito: Bernardo Dantas/DP/D.A Press.)
Tinta é atóxica, segundo os grafiteiros, e dura até uma semana na pele. Foto: Bernardo Dantas/DP/D.A Press.
No carnaval, já é certo a estudante Kennya Ferreira, 24, colorir as pernas, seja com desenhos de bonecas ou o nome da agremiação das amigas, o Bloco dos Lisos. Nunca nada relacionado a namorado, garante. “Tem que ser uma cor para chamar atenção”, também avisa ela, com dizeres em verde limão.

Sem medo de ser feliz, Ana Paula Maria, 31, também já deixou a perna laranja. Se quiser, a tinta resiste até a Quarta-Feira de Cinzas, mas amanhã é dia de trocar o tom. Colocar as cores do bloco do qual é diretora. “Carnaval é para a gente se expor como a gente quiser”, ensina.
Pernas duram em média uma hora para ficarem prontas. Foto: Bernardo Dantas/DP/D.A Press  (Bernardo Dantas/DP/D.A Press )
Pernas duram em média uma hora para ficarem prontas. Foto: Bernardo Dantas/DP/D.A Press



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.