Passarela Dragão Fashion: moda autoral brilha nas passarelas cearenses Desfiles questionam padrões de beleza e gênero, valorizam artesanato nordestino e celebram o feminino e a democratização do acesso à moda

Por: Larissa Lins - Diario de Pernambuco

Publicado em: 25/05/2018 16:02 Atualizado em: 25/05/2018 16:01

Desfiles na semana de moda cearense celebraram criações autorais e coleções carregadas de histórias. Foto: Roberta Braga e Cláudio Pedroso/Divulgação
Desfiles na semana de moda cearense celebraram criações autorais e coleções carregadas de histórias. Foto: Roberta Braga e Cláudio Pedroso/Divulgação

Fortaleza (CE)
– As passarelas cearenses foram transformadas em palco de protesto, rompimento de padrões, celebração do feminino e da identidade cultural e artesanato nordestinos. Através delas, o festival Dragão Fashion Brasil (DFB) 2018 revigorou, por mais um ano, a moda autoral nacional. Nomes como Lindebergue Fernandes, Gisela Franck, Ronaldo Silvestre, Ivanildo Nunes e Almerinda Maria integraram o line-up do evento, considerado o maior encontro de moda autoral da América Latina, e equilibraram delicadeza e contundência para se impor.

“Eu quis fazer uma moda democrática, a passarela é lugar de manifestação”, declarou Lindebergue nos bastidores de sua coleção Amor próprio, dedicada a falar sobre pessoas e para pessoas, em vez de listar tendências comerciais. Aplaudido de pé, o estilista escolheu corpos não padronizados entre si – com a enriquecedora participação do coletivo artístico As Travestidas em seu casting – para exibir malhas estampadas com manifestos: “amor”, “próprio” e “contém gente” sugeriram o rompimento de padrões de beleza e de gênero, convidando à auto-aceitação e à aceitação do Outro. Materiais plásticos e transparências revelaram os indivíduos por baixo das roupas, enquanto ilustrações lúdicas de órgãos genitais agregaram humor e vigor ao desfile-manifesto. A moda engajada de Lindebergue, cearense de 41 anos, é uma lufada de vida para o setor.

O cearense Lindebergue questionou padrões com a coleção Amor próprio e foi ovacionado pela plateia. Fotos: Roberta Braga/Divulgação
O cearense Lindebergue questionou padrões com a coleção Amor próprio e foi ovacionado pela plateia. Fotos: Roberta Braga/Divulgação


Estreante no DFB e encarregada de abrir a temporada de desfiles no Terminal Marítimo de Passageiros, onde o evento se estrutura, a marca de roupas leves Flee empunhou bandeiras afins: lançou luz sobre o feminino e o amor-próprio, o divino que existe em cada mulher. “Amo-me sobre todas as coisas. Sou a dona, a deusa de mim, a quem devo toda minha lealdade e meu carinho. Eu me celebro, eu me encho de flores, de brilho e perfumes, eu canto para mim. Minha força vem de dentro”, sentenciaram as diretrizes da coleção, intitulada Autodevota. Unidos na Ello.Collab, os selos Elemento Fio, K e Padma reforçaram a causa na coleção Manifeste seu poder: juntas nós podemos, apresentando vinte composições inspiradas em mulheres símbolos de luta pelo empoderamento feminino. Propostas acertadas e atuais.

Listras e cores primárias dominaram a coleção Illusions, assinada por João Paulo Guedes.  Fotos: Roberta Braga/Divulgação
Listras e cores primárias dominaram a coleção Illusions, assinada por João Paulo Guedes. Fotos: Roberta Braga/Divulgação


Em torno das ideologias que deram alma às coleções, tendências como o mood oitentista, o genderless, o geometrismo, o handmade e o romantismo se destacaram. O estilista João Paulo Guedes, radicado no Canadá desde 2008, apostou nas listras, mangas balonês, transparências e cores primárias na coleção Illusions. Iury Costa, inspirado nas obras do artista Sérvulo Esmeraldo, usou o jeans, as modelagens geométricas e proporções inusitadas na coleção Astúcias, enquanto Rebeca Sampaio lançou mão do couro, das texturas rústicas e das cinturas altas para apresentar mulheres cosmopolitas e mood oitentista na coleção Rosie. Entre outros destaques da temporada, Kallil Nepomuceno brilhou com sua moda festa hiper-romântica e Gisela Franck defendeu o consumo consciente com minimalismo e matéria-prima de fibras naturais. Rendá (por Camila Arrais) e Almerinda Maria celebraram a renda, revisitando a Renascença, o labirinto e o Richelieu: lançaram luz, como propõe o festival, sobre o viés clássico – mas não óbvio – das tradições regionais. 

O preciosismo das rendas de Almerinda Maria foram destaque no DFB por mais um ano. Fotos: Roberta Braga/Divulgação
O preciosismo das rendas de Almerinda Maria foram destaque no DFB por mais um ano. Fotos: Roberta Braga/Divulgação


* A repórter viajou a convite do Dragão Fashion Brasil

>> FAST FASHION
Escalada para o último desfile do festival, a Riachuelo representou o fast fashion nas passarelas do DFB e celebrou a democratização do acesso à moda com mix de estilos e tendências. Tecidos fluidos de vestidos e t-shirts se uniram ao couro e aos tricôs. O militarismo bafejou toda a apresentação, dos tons de verde e preto aos acessórios pesados – entre parkas, jaquetas e coturnos.

Gigante do segmento fast-fashion, a Riachuelo desfilou mix de tendências. Fotos: Roberta Braga/Divulgação
Gigante do segmento fast-fashion, a Riachuelo desfilou mix de tendências. Fotos: Roberta Braga/Divulgação


>> ESTRUTURA 
A marca Flee abriu as portas da nova sala de desfiles do Dragão Fashion, a DFBeach Club, instalada no pavimento superior do Terminal Marítimo de Passageiros e dedicada às marcas de beachwear - com vista para o pôr do sol cearense. Hand Lace e Bikiny Society também performaram no novo espaço, antecipando tendências do segmento – como o off white, os tons terrosos e o handmade - e reforçando a importância da moda praia para o Nordeste do país.

>> MODA MUSICAL
A trilha sonora executada ao vivo ganhou força em desfiles do DFB 2018, reforçando a contribuição da música para a construção das performances de moda, enquanto a programação de shows deste ano contou com nomes de peso na programação. Iza, As Bahias e a Cozinha Mineira e Karol Conká roubaram a cena após os desfiles, atraindo volume ainda maior de espectadores para o festival. 

Empoderamento e engajamento foram bandeiras atreladas aos desfiles da temporada. Na foto, performance marcante do Ello.Collab. Fotos: Roberta Braga/Divulgação
Empoderamento e engajamento foram bandeiras atreladas aos desfiles da temporada. Na foto, performance marcante do Ello.Collab. Fotos: Roberta Braga/Divulgação



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.