Moda

Oito títulos imperdíveis sobre moda para ler em 2018

Títulos foram lançados nas últimas temporadas e oferecem inspirações, destrincham bastidores e reconstroem a história de acessórios, vestuário e tendências

A top model Gisele Budchen é uma das celebridades clicadas pelo fotógrafo Bob Wolfenson e registradas em seu último livro. Foto: Bob Wolfenson/Divulgação

As principais apostas internacionais para as temporades de 2018 cruzavam as passarelas quando consultores e pesquisadores de moda revisavam originais para as publicações mais recentes sobre o setor. Entre manuais como o do pernambucano Arlindo Grund, As armadilhas da moda (Editora Planeta, R$ 49,90), e compilações de ensaios fotográficos como a do paulistano Bob Wolferson, em livro homônimo publicado pela editora Terra Virgem, as prateleiras passaram a oferecer mais referências e bagagem aos interessados pelo tema.

Inspirações, tendências, bastidores, insuficiências e potencialidades do setor vieram à tona. A beleza contida na escolha acertada dos figurinos e aquela reservada ao empoderamento e à liberdade sobre o próprio corpo nu foram revigoradas, e a moda ganhou força no mercado literário.

Nomes como Gisele Bündchen, Anitta, Ana Hickman, Luiza Brunet, Tais Araújo e Sonia Braga, fotografadas por Wolfenson em diferentes épocas, tiveram suas poses resgatadas no recém lançado Bob Wolfenson (Terra Virgem, R$ 70), um dos destaques nessa safra de publicações. Referência em editorias de moda e fotos sensuais, o paulistano teve os cliques selecionados e organizados sob curadoria do também fotógrafo Roberto Linsker.  “Todas são lindíssimas, seja pela beleza dos corpos nus, pelos olhares, pela atitude, mas principalmente pela forte presença. Na sequência das páginas que editei há uma conversa abstrata entre essas mulheres – cromática, estética, manifesta…”, Linsker declarou em comunicado oficial, durante o lançamento da obra.

Consultora de imagem, estilo e comportamento, Gloria Kalil explora com novo título as demandas do mercado de trabalho e como se posicionar nele. Foto: Bob Wolfenson/Divulgação

Além do apelo estético da fotografia de moda e da biografia de nomes como Tommy Hilfiger e Vivienne Westwood, conselhos e advertências de consultores e especialistas brasileiros sobre figurino e estilo pessoal deram o tom dos lançamentos. De um lado, a paulistana Gloria Kalil publicou Chic profissional: para circular e trabalhar no mundo globalizado (Editora Paralela, R$ 26,90). Do outro, o pernambucano Arlindo Grund deu sequência ao bem-sucedido Nada para vestir (2015) com o recente As armadilhas da moda.

Além deles, a empresária Alice Ferraz assinou Moda à brasileira: o guia imprescindível para os novos tempos da moda (Editora Gente, R$ 49,90), com lições sobre como medo e moda são termos cada vez mais dissociados na atualidade, quando as roupas podem ser ferramentas de revolução.

PARA LER EM 2018


>> As armadilhas da moda (Editora Planeta, R$ 49,90)
Arlindo Grund
Recém-lançado, o novo livro do consultor de moda pernambucano Arlindo Grund, autor do bem-sucedido manual Nada para vestir, procura informar os leitores sobre como escapar de armadilhas e ciladas ao montar uma produção. Grund não impõe certo e errado, mas convida a reflexões sobre equívocos que todos podem cometer ao se vestir, além de apontar diretrizes básicas para montar looks com identidade e precisão. 

>> American Dreamer: my life in fashion & business (Ballantine Books, R$ 101,20)
Tommy Hilfiger
O livro de memórias do estilista novaiorquino foi lançado na Flórida, nos Estados Unidos, e aponta como ele reinventou sua grife a partir dos anos 1980 e como abriu sua primeira loja com apenas 150 dólares. “Quando todo mundo usa a mesma coisa, os primeiros usuários já não querem mais, porque a veem em todas as partes, como aconteceu recentemente com a Abercrombie & Fitch e com a Gap. Assim, tivemos que nos reinventar até que o negócio voltou a decolar”, ele revela na publicação.  “Escolhi o estilo com o qual cresci: camisas de botões e calças de pregas, esportiva, casual, mas o redesenhei para que ficasse novo e leve”, escreve. Hilfiger ainda aconselha e declara que só alcança o sucesso na moda quando se tem coragem de quebrar padrões.

>> Chic profissional: para circular e trabalhar no mundo globalizado (Editora Paralela, R$ 26,90)
Gloria Kalil
No manual de estilo e comportamento para o mundo corporativo atual, Gloria Kalil contextualiza a posição das mulheres no mercado de trabalho e dá dicas para ser mais feliz e eficiente como profissional. O que vestir na entrevista de emprego, que roupas usar na rotina da empresa e como lidar com emails e redes sociais na dinâmica atual são alguns dos conselhos da consultora de moda paulistana, referência em etiqueta no Brasil. Definido como “uma guia completo para quem precisa encontrar seu lugar na arena”, Chic profissional se refere ao leitor no gênero feminino e revela uma apuração cuidadosa sobre como a globalização e a internet renovaram os códigos do vestuário profissional. 


>> Moda à brasileira: o guia imprescindível para os novos tempos da moda (Editora Gente, R$ 49,90)
Alice Ferraz
Lançando mão da experiência da autora no ramo empresarial da moda, o guia fala sobre a importância de se vestir bem, ensina a confeccionar um moodboard (painel de referências e inspirações) pessoal e a  montar um armário-cápsula. Habituada a descobrir e orientar influenciadores digitais, bem como encontrar marcas que busquem expor seus produtos através de pessoas com estilos diversos, Alice compreende as jogadas e o valor simbólico da moda, identidade e do estilo pessoal. Mercado de luxo, love brands, maquiagem, mudança de visual e padrões de beleza são alguns dos tópicos abordados na obra.

>> O biquíni made in Brazil (Editora Arte Ensaio, R$ 89)
Lilian Pacce
Bem-humorado e de leitura fluida, o livro explora curiosidades sobre a invenção do biquíni, a trajetória da peça desde os anos 1940, quando foi inventada, e a relação dos brasileiros com o traje de banho. Mudanças de costumes, acontecimentos políticos e o desenrolar da história moderna guiam a reconstrução histórica, destrinchada numa linha do tempo com os principais fatos em torno dos biquínis e sua importância para a moda. As contribuições de nomes como Amir Slama, David Azulay, Cidinho Pereira e Lenny Niemeyer a marcas como Blue Man, Bumbum Ipanema e Salinas também são detalhadas pela autora. A obra celebra, sobretudo, o biquíni brasileiro, objeto de desejo em todo o mundo.

>> De princesa a rainha da moda (Seoman, R$ 62)
Diane von Furstenberg
A jornada de Diane von Furstenberg, estilista belga naturalizada estadunidense, ícone nos bastidores da moda dos anos 1970 e 1980, é revelada na obra. As raízes dela como filha de um sobrevivente do Holocausto são revisitadas, bem como seu estilo de vida na Nova York da década de 1970. Diane divide sua trajetória em três fases: Sonho Americano, Volta Triunfal e Nova Era, sendo esta última a fase atual. Em tom de intimidade e franqueza, a criadora do vestilo envelope – revolução na moda por simbolizar poder e independência para as mulheres da época – se abre em quase 300 páginas de biografia. 

 

LEIA TAMBÉM


Um brinde a isso (Intrínseca, R$ 39,90): escrito por Betty Halbreich, comandante do departamento de compras personalizadas da Bergdorf Goodman, ícone da moda de luxo, o livro fala da carreira de personal shopping e das memórias pessoais de Betty e de seu trabalho junto a personalidades fashion.

Vivienne Westwood (Rocco, R$ 69,50): a criadora do movimento punk no mundo da moda assina o livro junto com o biógrafo Ian Kelly. Acontecimentos mais importantes e mais curiosos da trajetória da estilista britânica vêm à tona, bem como os bastidores de seus desfiles e estilo de vida.

Loading ...
Leia a notícia no Diario de Pernambuco
Loading ...