• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
É proibido proibir Trocando em Miúdos traz referências da Tropicália em nova coleção A marca pernambucana investiu no viés sociopolítico e cultural

Por: Aline Ramos

Publicado em: 06/12/2017 15:00 Atualizado em: 06/12/2017 09:49

"É proibido proibir" homenageia duas musas tropicalistas, Gal Costa e Rita Lee. Foto: Trocando em Miúdos/Divulgação
"É proibido proibir" homenageia duas musas tropicalistas, Gal Costa e Rita Lee. Foto: Trocando em Miúdos/Divulgação
Brasil, final dos anos 1960: ditadura militar, contestações políticas, minorias em busca de espaço, transformação social. É sob esse horizonte que emerge a Tropicália, movimento artístico de contracultura que iluminou a música, teatro, cinema e artes visuais nacionais. Com a perspectiva de um outro olhar para tradição nacional, e como janela para inovações radicais, essa proposta estética e comportamental persiste até hoje no imaginário coletivo do país. “É proibido proibir” dá nome a coleção de Alto Verão da Trocando em Miúdos, é a tradução do Tropicalismo na criação da marca pernambucana de acessórios.

Na nova coleção, as noções de moda e estilo da década de 1960 foram exploradas sob o prisma da transgressão e da ousadia. “Essas referências estão presentes nos nossos artistas favoritos, nos figurinos, capas de discos, entre tantas outras  obras. As peças de ‘É proibido proibir’ espelham esse repertório de formas, materiais, cores e, sobretudo, o espírito transgressor do movimento”, destaca Amanda Braga, sócia da Trocando em Miúdos.

A paleta de cores explora combinações de tons quentes e matizes mais frios: do amarelo ao rosa, passando por tonalidades de laranja e por vermelho, e do verde-pistache ao azul-indigo, atravessando um mar azulado que vai do turquesa ao royal. Além disso, algumas peças flertam com tons mais claros, mas ainda em mesclas ousadas – nude e dourado com glitter opaco, por exemplo. A coleção traz 50 modelos, entre brincos, maxicolares, pulseiras, anéis e chokers, gargantilhas que têm sido uma das novidades da marca. Nos materiais utilizados, acrílicos, que ganha destaque na estrutura das peças, cordas e correntes.

Nesse desfecho de temporada para a Trocando em Miúdos, “É proibido proibir” homenageia duas musas tropicalistas, Gal Costa e Rita Lee. As mensagens dos versos entoados por esse duo de mulheres de fibra fortalecem a postura da marca – alçar a moda à plataforma política e propor uma reflexão sobre o atual contexto sociopolítico de 2017: “É preciso estar atento e forte” e “Um belo dia resolvi mudar”. “Esse espírito inovador, contestador, libertário, voltado para o coletivo, e também artístico e festivo, é uma forma oportuna de fechar esse ano, em que alguns dos nossos direitos foram cassados e outras tantas liberdades estão sob disputa e ameaçadas”, destaca Juliane Miranda, sócia da marca.

As peças já estão disponíveis nas lojas da marca:
-Loja Parnamirim: Rua Ferreira Lopes, 129 - Parnamirim - (81) 3269 7766
-Loja Espinheiro: Rua Santo Elias, Galeria 367 - Loja 6 - Espinheiro - (81) 3048 1908
-Loja Jaqueira: Rua Deputado Pedro Pires, Galeria Crystal (Academia Life) - Loja 9 - Jaqueira - (81) 3039 0140


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.