• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Sustentabilidade Criativa e sustentável: especialistas e criadores traçam futuro da moda no Recife Desta quinta-feira (17) ao domingo (20), DNA da moda pernambucana e recursos para o segmento são discutidos em pontos simbólicos da cidade

Por: Larissa Lins - Diario de Pernambuco

Publicado em: 17/08/2017 12:36 Atualizado em: 17/08/2017 16:53

O seminário Trama segue até o domingo (20), quando o evento itinerante O Cluster chega à capital pernambucana. Foto: Renan Lima/Divulgação
O seminário Trama segue até o domingo (20), quando o evento itinerante O Cluster chega à capital pernambucana. Foto: Renan Lima/Divulgação

A moda como a conhecemos está morta. É nisto que acredita grande parte dos especialistas, consultores e designers reunidos a partir desta quinta-feira (17) no Recife, durante o seminário Trama, dedicado a discutir novos processos de criação e produção de roupas e produtos e fortalecer o mercado de moda local. Fruto de parceria entre o coletivo pernambucano Espaço Garimpo e a plataforma carioca O Cluster, com incentivo do Funcultura, o evento promoverá três workshops pagos e seis mesas de debate gratuitas em pontos simbólicos para a moda e a cultura popular pernambucanas, como o Cais do Sertão e o Marco Pernambucano de Moda, ambos no Centro da cidade. O intuito, em vez de destrinchar fracassos do setor, é lançar luz sobre a moda do futuro – uma versão mais criativa, tecnológica e, sobretudo, mais sustentável da que vem sendo feita até então.

“Uma legião de marcas jovens, novas no mercado, conduzidas por empreendedores também jovens, está refrescando o mundo da moda. É uma geração cansada dos antigos modelos, que não está disposta a se enquadrar neles e que foi alfabetizada entendendo a sustentabilidade, a escassez de recursos naturais, a necessidade de criar uma relação leve com o trabalho, um ambiente feliz para criar coisas novas”, explica a consultora e pesquisadora carioca Renata Abranchs, gestora do Bureau de Estilo e criadora dos movimentos Encontros de Moda e #feitonoBrasil.

O estilista pernambucano Cris Moura é um dos convidados do seminário Trama, dedicado ao debate em torno do futuro da moda. Foto: Cris Moura/Divulgação
O estilista pernambucano Cris Moura é um dos convidados do seminário Trama, dedicado ao debate em torno do futuro da moda. Foto: Cris Moura/Divulgação
Ela comanda workshop sobre coolhunting na moda (quando estudos antropológicos ajudam a balizar novas tendências) durante o Trama, se unindo a nomes de destaque no cenário pernambucano - como o estilista Cris Moura e as designers Amanda Braga (Trocando em Miúdos), Lia Tavares e Marina Viturino (DUAS). Para Renata Abranchs, o componente autoral – traço cada vez mais forte em Pernambuco - será o coração da moda do futuro: “As roupas terão gênero fluido, sem idade pré-determinada, sem data de validade. Serão desapegadas das tendências ditadas pelas passarelas e muito menos descartáveis do que já foram até bem pouco tempo”, prevê.

Para ajudar a desenhar esse novo cenário, empreendedorismo, criatividade, novos mercados, novas plataformas de moda e consumo ético e sustentável serão algumas das temáticas abordadas no Trama, que segue até o dia 20 deste mês. O Cluster – evento itinerante nascido no Rio de Janeiro e dedicado a estimular a economia criativa na moda, música e gastronomia, reunindo marcas autorais nas capitais por onde passa – encerra a programação no próximo domingo, no Espinheiro.

“Vivemos um momento de retração de consumo no país e, também, um momento em que todos questionam o consumo desenfreado. É nessas horas que precisamos repensar os produtos, os processos de produção, para que as marcas encontrem seus propósitos e possam entregar algo de verdadeiro valor para o consumidor. As marcas pernambucanas precisam trabalhar a consolidação de mercado criativo através da valorização da produção local”, explica Carolina Herszenhut, fundadora d'O Cluster e co-idealizadora do Trama. 

Para a produtora cultural, a moda pernambucana - reconhecida nacionalmente pelas estampas floridas, coloridas e alegres, e por criar um ambiente mais “livre”, no qual mulheres e homens têm grande autonomia para ousar na escolha de peças – ainda precisa consolidar seus “genes”, que serão estimulados durante o Trama. Para reforçar a identidade cultural local, o Espaço Garimpo promoverá, além dos workshops e seminários da grade principal do evento, uma viagem ao Armazém da Criatividade, em Caruaru, no Agreste do estado, e um “safari criativo” pelo Recife, apresentando espaços e marcas locais que sejam referências para a moda da região. “Pernambuco ainda precisar encontrar seu DNA na moda, assim como já encontrou na música, e ir de cabeça nas suas referências. Usar o orgulho pernambucano para levar sua moda para todo o país”, avalia Carolina.

Renata Abranchs prevê o uso caseiro da tecnologia para que as pessoas produzam sua própria moda. Foto: Tiago Petrik/Divulgação
Renata Abranchs prevê o uso caseiro da tecnologia para que as pessoas produzam sua própria moda. Foto: Tiago Petrik/Divulgação


>> COMO SERÁ A MODA NO FUTURO?
Previsões da consultora e pesquisadora de moda Renata Abranchs, gestora do Bureau de Estilo e criadora dos movimentos Encontros de Moda e #feitonoBrasil

“A moda do futuro não tem idade, nem gênero. É cada vez mais acessível e democrática.”

“As pessoas terão suas impressoras 3D em casa e poderão imprimir suas próprias roupas, seus acessórios. Haverá recursos para transformar peças antigas em novas, criar o que nunca foi feito, customizar os itens. A maioria fará suas próprias roupas e os objetos decorativos da casa.”

“O setor tende a valorizar cada vez mais a mão de obra e a matéria-prima locais. Essa é a primeira geração que realmente se preocupa com questões ambientais e sociais.”

“Um dos principais desafios será driblar os altos custos de produção no país. Outro desafio será a qualificação de profissionais, o que depende diretamente da valorização das pessoas que fazem moda no Brasil.”

“As pessoas entenderão o 'valor' de uma peça de maneira diferente. É preciso parar de pensar a moda como algo descartável e passar a vê-la como algo atemporal, perene. Assim, o 'valor' importará mais do que o preço.”

“Todos serão mais desprendidos das passarelas, revistas de moda, novelas. Será cada vez mais difícil impactar as pessoas pelo marketing tradicional. Será preciso cativá-las com inspirações, transparecendo valores, práticas, morais, estilo de vida, não somente tendências.”

"É preciso repensar toda a cadeia de moda, da produção ao consumo", acredita Carolina, criadora d'O Cluster. Foto: Renan Lima/Divulgação
"É preciso repensar toda a cadeia de moda, da produção ao consumo", acredita Carolina, criadora d'O Cluster. Foto: Renan Lima/Divulgação

>> DESTAQUES 

Empreendedorismo e criatividade
Com Carolina Herszenhut (O Cluster – RJ), Maitê Lacerda (Benta Studio – RJ) e Cris Moura (estilista pernambucano). Quando: Sexta-feira (18), às 14h. Onde: Museu Cais do Sertão (Armazen 10 - Av. Alfredo Lisboa, s/n – Bairro do Recife). Quanto: Entrada gratuita.

Lovemarks
Com Ana Paula de Miranda (UFPE), Amanda Braga (Trocando em Miúdos), Lia Tavares e Marina Viturino (DUAS) e Izabela Domingues (UFPE). Quando: Sábado (19), às 10h. Onde: Cais do Sertão (Armazen 10 - Av. Alfredo Lisboa, s/n – Bairro do Recife). Quanto: Entrada gratuita.

O Cluster
Evento multicultural que reúne iniciativas locais nos setores de moda, design, música e gastronomia. Quando: Domingo (20), das 13h às 21h. Onde: Rua José Luís da Silveira Barros, 71 – Espinheiro. Quanto: Entrada gratuita.

>> CURSOS PAGOS
Professores, estudantes de moda e interessados no segmento podem se inscrever para os workshops do Trama e participar do curso Workchoque: coolhunting, com Renata Abranchs (dia 17, às 14h) e da Oficina de Re-roupa (dia 19, às 9h e às 14h). Os cursos pagos ocorrem no Porto Digital (R. 210, Cais do Apolo, 222 – Bairro do Recife), também no Centro. A tour ao Agreste do estado e o “safari criativo” pelo Recife também têm custo de inscrição, e os ingressos para toda a programação paga do Trama estão à venda na plataforma Sympla (sympla.com.br).


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.