• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Sereias urbanas A tendência que vem do mar O sereísmo vem ganhando força em roupas, cabelo, decoração e nos acessórios

Por: Aline Ramos

Publicado em: 03/08/2017 14:00 Atualizado em: 03/08/2017 10:24

As pulseiras Concha e Estrela do Mar fazem parte da nova coleção da Simone Joias. Foto: Simone Joias/Divulgação
As pulseiras Concha e Estrela do Mar fazem parte da nova coleção da Simone Joias. Foto: Simone Joias/Divulgação

Engana-se quem pensa que sereias só existem em filmes animados ou nas lendas do folclore brasileiro.  Apesar da ascensão recente, o estilo é bem antigo e surgiu ainda nos anos 90, com os clubbers e grunges. Cantoras como Kesha e Azealia Banks foram algumas das responsáveis por trazer de volta essa tendência. Aqui no Brasil, Ísis Valverde jogou luz sobre o tema, com a sua atual personagem Ritinha, na novela A Força do Querer, que é adepta do sereísmo. Até mesmo as caudas das sereias ganharam o mercado e viraram febre.

Referências ao fundo do mar tomam conta em roupas, acessórios, cabelo e até na decoração. Fotos: Reprodução/Pinterest
Referências ao fundo do mar tomam conta em roupas, acessórios, cabelo e até na decoração. Fotos: Reprodução/Pinterest

Como o próprio nome sugere, a ideia é se apropriar de elementos do mar ou da estética de sereia, e aplicar no cotidiano, sem transformar em algo alegórico. Homens e mulheres de todo o mundo aderiram isso como estilo de vida. Na nova coleção da Simone Joias, inspirada no universo mítico do mar, as peças trazem conchas, búzios, estrelas do mar e cavalo-marinho. Os cabelos também seguem a mesma linha e aparecem em tons pastel. Já a maquiagem aposta nas sombras em tonalidades de azul, rosa, verde marinho e glitter; e no look roupas em crochê, t-shirts com desenhos que remetem a figuras marinhas e saias soltas e leves. Todos esses detalhes podem ser encontrados nas conhecidas “sereias urbanas”.

 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.