• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Europa Estilista brasileira leva moda praia 'ousada' à Europa e prega empoderamento A brasileira Iracema Scharf se inspira no tropicalismo e lança mão de estampas e cores fortes para fazer seu nome no continente europeu

Por: Larissa Lins - Diario de Pernambuco

Publicado em: 10/07/2017 11:02 Atualizado em: 09/07/2017 17:07

Iracema Scharf chegou à Europa nos anos 1990 e, ao se estabelecer no Velho Continente, decidiu se firmar como estilista especializada em moda praia. Foto: Iracema Scharf/Divulgação
Iracema Scharf chegou à Europa nos anos 1990 e, ao se estabelecer no Velho Continente, decidiu se firmar como estilista especializada em moda praia. Foto: Iracema Scharf/Divulgação

Foi a consciência de que a moda poderia lhe servir como ferramenta de empoderamento que levou a brasileira Iracema Scharf a se engajar no segmento. “Basta acompanhar a história da moda que isso fica muito claro”, diz a estilista sobre a função social e cultural do vestuário. Radicada na Europa há cerca de 20 anos, Iracema tem se valido das cores e motivos tropicais brasileiros para estabelecer seu nome como referência em moda praia no Velho Continente. Há pouco, trouxe o selo Scharf ao país onde nasceu, até então inexplorado pela grife que leva seu nome. É a fase mítica em que a cobra engole a própria cauda e retorna ao ponto de partida, a fim de fortalecer e reverenciar as raízes das próprias inspirações – um percurso recorrente no mundo da moda.

“A moda é uma das engrenagens que mais movimentam a economia nacional. Tenho orgulho de ser responsável pela fundação de uma marca com essência genuinamente brasileira na Europa”, explica Iracema, que pretende ampliar a atuação no país natal – onde as peças são vendidas, por ora, em lojas de multimarcas. As cores vibrantes, estampas expressivas e modelagens ousadas para o padrão europeu tradicional tendem a ser elementos bem recebidos no mercado local, para onde os olhos da indústria fashion se voltam quando o assunto é beachwear. A referência foi um dos principais motivos para que Iracema firmasse vínculo com a moda praia: apaixonada pela alta costura desde a adolescência, decidiu assinar biquínis, maiôs e peças de sportwear por achar que esse viés era o que melhor representava seu berço criativo.

Iracema lança mão de modelagens ousadas e cores mais fortes, o que lhe garantiu sucesso na Alemanha. Fotos: Iracema Scharf/Divulgação
Iracema lança mão de modelagens ousadas e cores mais fortes, o que lhe garantiu sucesso na Alemanha. Fotos: Iracema Scharf/Divulgação


Iracema teve tempo para amadurecer esses conceitos: chegou à Europa em 1996, a convite de amigos, e se apaixonou pela Alemanha. “Fiquei encantada, principalmente com a forma carinhosa e educada como fui recebida. Numa segunda viagem, conheci um pouco mais dos costumes e da cultura local, quando também conheci o grande amor da minha vida”, lembra a estilista, que voltou ao Brasil somente para fazer as malas da mudança definitiva. Desde então, se propõe a apresentar “o calor tropical do Brasil e revolucionar o mercado de moda praia alemã”. Isso, vale sublinhar, sem objetificação do corpo feminino e sem qualquer associação de cunho sexual aos biquínis. O “corpo de praia”, segundo Iracema Scharf, é – como deve ser – qualquer corpo que se disponha a simplesmente ir à praia.

A aceitação das peças de Iracema no continente europeu sublinha a evolução desse enfrentamento, da desconstrução de padrões de beleza e da quebra de tabus em torno do corpo feminino. “As modelagens brasileiras não eram bem aceitas na Europa. Hoje são apreciadas, vistas como um diferencial”, ela avalia. Mostrar “as curvas” e ocupar espaços é, como a história da moda e da luta pela igualdade de gênero revelam, um ato político – e a estilista brasileira não foge da responsabilidade, mas diz procurar criar ferramentas para que mais mulheres a exerçam.

A modelo Isabel Hickmann é o rosto da nova coleção de Scharf, que acaba de trazer a marca ao Brasil. Fotos: Raphael Lucena/Divulgação
A modelo Isabel Hickmann é o rosto da nova coleção de Scharf, que acaba de trazer a marca ao Brasil. Fotos: Raphael Lucena/Divulgação


“A moda é uma forma de comunicação não verbal, através dela é possível identificar e questionar comportamentos e características culturais”, ela destrincha. Costuma usar a expressão “picante” para reforçar essa ideia – a logomarca de Scharf entrelaça uma pimenta e as cores da bandeira do Brasil – e associa o termo ao verbo “revolucionar.” Exclusividade, criatividade e personalidade são outras palavras-chave que a estilista atribui ao selo, cujas peças nascem do cruzamento entre elementos naturais e tendências pinçadas do comportamento atual nas redes sociais.

Para o Inverno 2017, a coleção mais recente, estrelada pela modelo Isabel Hickmann, Iracema reverenciou a cultura africana: são biquínis, maiôs, vestidos, batas e looks esportivos com estampas florais e geométricas, disponibilizados em vitrines estrangeiras e do Brasil – onde ela desfilou pela primeira vez em outubro do ano passado, durante o Veste Rio. Os tecidos, confeccionados com fio “emana plus”, prometem aprimorar o desempenho durante atividades físicas e combater a celulite (facilitando a circulação sanguínea). “A coleção investe nos tons de azul, verde, rosa e coral, além da clássica combinação de preto e branco”, revela a idealizadora, cujos tons preferidos, contudo, são amarelo e vermelho, os mais solares.

A brasileira vê a moda como ferramenta não-verbal de empoderamento e aponta um "amadurecimento" na liberdade da mulher sobre a exposição do próprio corpo. Foto: Iracema Scharf/Divulgação
A brasileira vê a moda como ferramenta não-verbal de empoderamento e aponta um "amadurecimento" na liberdade da mulher sobre a exposição do próprio corpo. Foto: Iracema Scharf/Divulgação
ENTREVISTA: Iracema Scharf, estilista de moda praia

Como nasceu a sua relação com a moda?

Surgiu através da minha admiração pelo estilo das pessoas que eu via nas ruas, principalmente nas cidades europeias, que sempre lançam tendências. Com isso, criei minha marca na Europa, mas trazendo sempre as referências de estilo e cultura brasileiros para as coleções.

E com a moda praia, mais especificamente, como surgiu seu vínculo com o segmento?

A moda praia é o segmento que mais representa o Brasil. Minhas coleções de beachwear e sportwear lançadas na Alemanha me proporcionaram maior reconhecimento no mercado europeu.

Em relação à desconstrução de padrões de beleza, percebe mudanças? Podemos dizer que houve uma evolução de comportamento nesse sentido?
Levando em consideração que os padrões de beleza já sofreram diversas mudanças ao longo do tempo, noto que eles são algo constante, porém cíclico. Hoje, a busca pela perfeição se caracteriza pelas referências que vemos diariamente nas redes sociais. Todas essas mudanças são fontes de pesquisa, que servem, inclusive, como base para a criação das minhas coleções.

Além dessa, quais as principais inspirações ao desenvolver uma coleção nova?
Sempre me inspiro nas diferentes características étnicas, sociais e culturais, na arte e em elementos naturais.

Onde as peças são fabricadas?
As peças Iracema Scharf são totalmente produzidas no Brasil, estamos sempre alinhados com o que há de mais atual no mercado brasileiro.

Em linhas gerais, como tem sido a chegada da marca ao país onde você nasceu? Como avalia essa nova fase da marca?
O lançamento no Brasil tem sido um sucesso, principalmente pelo fato de ser uma marca fundada na Alemanha por uma estilista brasileira. O feedback do púbico tem sido extremamente positivo.

Quais são os próximos planos? Pode antecipar algo que está sendo articulado para o Brasil?
Nós queremos expandir a nossa atuação no país. Estamos à venda em multimarcas de diversos estados, mas queremos muitos mais. Muitas novidades estão por vir.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.