• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Minas Trend Preta Gil lança coleção com estilista mineiro: 'Para mulheres reais' Cantora roubou a cena na passarela do Minas Trend, em Belo Horizonte, e propôs democratização da moda

Por: Larissa Lins - Diario de Pernambuco

Publicado em: 06/04/2017 07:17 Atualizado em: 06/04/2017 03:30

Victor Dzenk e Preta Gil, para quem o estilista já desenhou inúmeros figurinos, desenvolveram coleção cápsula em parceria. Foto: Marcelo Soubhia/Ag. Fotosite
Victor Dzenk e Preta Gil, para quem o estilista já desenhou inúmeros figurinos, desenvolveram coleção cápsula em parceria. Foto: Marcelo Soubhia/Ag. Fotosite

Belo Horizonte -
Preta Gil anunciou ao microfone: "Vai ter mulher GG na passarela, sim!", pouco antes de roubar a cena na última noite de desfiles do Minas Trend, na capital mineira. Em parceria com a cantora, o estilista Victor Dzenk lançou coleção cápsula com a proposta de contemplar "mulheres reais": as peças deverão ser comercializadas em lojas multimarcas, com modelagens all size (ajustáveis a diferentes manequins).

"Que a moda seja mais humana, mais real, para pessoas de todos os tamanhos, cores, idades. Eu acredito e quero fazer moda para todas as mulheres. Hoje realizei um sonho, junto com meu amigo Victor Dzenk. Nossa moda é all size!", escreveu Preta nas redes sociais. Na passarela, foi mais enfática: "Esse é um marco. Vamos democratizar a moda", propôs ao cruzar a passarela. Amiga pessoal de Dzenk e vestida frequentemente por ele em suas turnês, Preta Gil convidou as costureiras da marca para o momento dos agradecimentos, ao final do desfile.

Preta falou em democratizar a moda e comemorou a coleção all size. Foto: Marcelo Soubhia/Ag. Fotosite
Preta falou em democratizar a moda e comemorou a coleção all size. Foto: Marcelo Soubhia/Ag. Fotosite
Modelos diferentes das escaladas para o desfile conceitual de Dzenk - que antecedeu a apresentação da coleção-cápsula em parceria com Preta - entraram em cena: sem padronização, mostraram que as peças se adaptavam a corpos distintos e dançaram ao som de Eu quero e você quer, cantada por Preta. Um entusiasmado Dzenk foi conduzido pela cantora até o pit dos fotógrafos (onde se posicionam as câmeras, na extremidade final das passarelas), enquanto a plateia era convidada a dançar. "Vocês acharam que não iam dançar hoje?", brincou Preta.

>> AS ROUPAS


Ao contrário da coleção-cápsula atrelada à imagem de Preta Gil - uma empreitada sintonizada, ainda, com demandas sociais pela desconstrução de padrões de beleza -, as peças conceituais de Victor Dzenk passam longe da unanimidade. Há cores demais, militarismo demais, renda de voile demais - em meias, luvas, lingeries. Os tecidos parecem pouco sofisticados, e as cinturas rebaixadas e amarrações são, no conjunto, pouco harmônicas.

A entrada de Preta Gil na passarela - já vestida com um dos modelos da coleção, superestampado, decotado, ajustado ao corpo -, e a chegada das modelos escolhidas para a segunda parte do desfile de Dzenk foram o ponto alto da performance do estilista mineiro, o último do line-up do 20º Minas Trend.

*A repórter viajou a convite do Minas Trend

Modelos de diferentes medidas corporais subiram à passarela com peças da coleção de Preta e Dzenk. Foto: Marcelo Soubhia/Ag. Fotosite
Modelos de diferentes medidas corporais subiram à passarela com peças da coleção de Preta e Dzenk. Foto: Marcelo Soubhia/Ag. Fotosite


Primeira metade do desfile de Dzenk foi dedicada a peças mais conceituais. Foto: Marcelo Soubhia/Ag. Fotosite
Primeira metade do desfile de Dzenk foi dedicada a peças mais conceituais. Foto: Marcelo Soubhia/Ag. Fotosite


Militarismo e rendas foram algumas referências da coleção conceitual de Dzenk. Fotos: Ag. Fotosite
Militarismo e rendas foram algumas referências da coleção conceitual de Dzenk. Fotos: Ag. Fotosite


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.