• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Miss Da periferia à coroação: a história da Miss Recife 2017 A pernambucana Keron Linn vai representar a capital do estado no Miss Pernambuco e planeja reinado de empoderamento da mulher negra de periferia

Por: Larissa Lins - Diario de Pernambuco

Publicado em: 04/04/2017 11:12 Atualizado em: 04/04/2017 14:44

Até subir ao palco do concurso de Miss Recife 2017, no mês passado, Keron teve um ano de preparação. Foto: Paulo Paiva/DP (Paulo Paiva/DP)
Até subir ao palco do concurso de Miss Recife 2017, no mês passado, Keron teve um ano de preparação. Foto: Paulo Paiva/DP

Quando a recifense Keron Linn, 18 anos, verbalizou pela primeira vez os planos de seguir carreira na área de moda e beleza, aquilo lhe soou estranho.“Eu era pobre e sabia que a maioria das meninas começavam muito cedo a desfilar. Quando criei coragem para seguir o mesmo caminho e comecei a falar no assunto, senti que não teria chance, que seria muito tarde e muito difícil”, lembra Keron, coroada Miss Recife no dia 24 de março, em cerimônia no Hotel Golden Beach, em Piedade, na RMR.

Encorajada por uma tia, decidiu se arriscar: nascida e criada na periferia do Ibura, na Zona Norte da capital pernambucana, Keron se inscreveu nos primeiros concursos de beleza aos 17. Foi finalista em todos, não venceu nenhum. O importante mesmo, ela passou a dizer em casa, era persistir. Com esse argumento, convenceu os pais – o pedreiro Joab Amaro e a professora Cristina Miguel - a darem suporte a seus projetos. Depois, cativou os vizinhos. Todos os dias, desembarcava do ônibus e caminhava até a rua onde vive sob as palavras de incentivo da comunidade. “Eles diziam sempre que eu ganharia a próxima disputa, que estavam torcendo. Assim como a minha família, me deram apoio, suporte emocional e financeiro, todos fizeram o máximo que podiam”, lembra a jovem.



Até subir ao palco do concurso de Miss Recife 2017, no mês passado, Keron teve um ano de preparação. Entre um estágio remunerado e a escola regular, ocupou o tempo livre com maratonas de exercícios, sessões de foto, pesquisas sobre a cidade e prospecções nos bastidores da moda pernambucana. Deu certo, nem levou tanto tempo. “Tentei concorrer ao título de Miss Recife em 2016, mas eu não teria 18 anos até a coroação, então não pude participar. Disputei o Miss Teen, fui classificada entre as 15 finalistas, depois fui eliminada”, conta Keron Linn, nome artístico que ela mesma escolheu.

Nos próximos doze meses, a miss recém-coroada deverá comparecer a quaisquer eventos de moda e cultura aos quais for convocada pela coordenação do concurso ou convidada pela Prefeitura do Recife. Quando as coisas se acalmarem, em meados do próximo ano, planeja cursar Psicologia. “Quero ser uma miss ativa, presente. Para isso, preciso aprofundar meus estudos sobre a cidade, a cultura local, a história do estado. São conhecimentos necessários para a função, que vai muito além da estética e requer traquejo, bagagem”, explica a jovem, há cerca de um ano ligada à agência pernambucana Fama Models.

Keron vê o reinado como uma chance de incentivar sobretudo o empoderamento da mulher negra de periferia. “Nem sempre aceitei meu cabelo crespo e, por muito tempo, achei que ter uma origem pobre me impediria de conquistar o sonho de ser miss. Quero dizer às meninas que elas devem lutar por seus espaços e confiarem em si mesmas, independente da desigualdade de gênero, cor da pele, do cabelo, da condição social”, incentiva. A Miss Recife representa a capital do estado no Miss Pernambuco, no dia 26 de maio, no Centro de Convenções do Hotel Canarius, em Gravatá, no Agreste pernambucano.


"Nem sempre aceitei meu cabelo crespo e, por muito tempo, achei que ter uma origem pobre me impediria de conquistar o sonho de ser miss", diz Keron. Foto: Paulo Paiva/DP (Paulo Paiva/DP)
"Nem sempre aceitei meu cabelo crespo e, por muito tempo, achei que ter uma origem pobre me impediria de conquistar o sonho de ser miss", diz Keron. Foto: Paulo Paiva/DP
>> ENTREVISTA: Keron Linn, estudante e Miss Recife 2017

Das últimas tendências das passarelas, como roupas de veludo, silhuetas maximizadas, peças andróginas, quais as suas preferidas?
Para falar a verdade, sou apaixonada por todas as tendências, acompanho tudo. Cada ocasião pede uma roupa. Escolho conforme a ocasião, tentando acompanhar as apostas das passarelas.

Quem monta suas produções?
Eu costumo escolher as peças sozinha, com ajuda do meu agenciador. Eu seleciono as peças e ele me dá os toques. Mas quem está me ajudando agora é o estilista Marcos Sales.

Como é sua relação com a comunidade onde vive?

Excelente. Enquanto eu precisei segurar o choro durante a coroação, meus vizinhos se emocionaram mais do que eu. Meus sonhos são deles também. E dos meus pais, principalmente. Dois dias após a premiação, houve uma festa com alguns vizinhos. E ainda haverá mais comemorações. Durante todo o concurso, eles se mobilizaram nas redes sociais, articularam uma grande torcida. As meninas me pedem autógrafos, pedem para desfilar junto comigo nos próximos concursos. São uma graça, esses seres inocentes. Eu fico bestinha!

E sua relação com o cabelo natural? Sempre foi tranquila ou passou pelo processo de transição capilar?

Eu tinha muita, muita vergonha de “usar” meu cabelo natural. Depois, percebi que deixá-lo crespo me empoderava. A maior beleza é a natural. Precisei assumir os cachos, sim, e foi a melhor decisão.

>> DICAS DE MISS

- No guarda-roupa de toda mulher não pode faltar um vestido básico com bom caimento e uma boa calça jeans.

- Uma dieta balanceada muda o corpo, a pele, os cabelos. Eu vivo em regime constante. É preciso ingerir muitas frutas, legumes. Além de beber muitos sucos e bastante água.

- Um sono regular também é fundamental. Além dos exercícios e da dieta, o tempo de descanso é importantíssimo para equilibrar o organismo e aliviar o estresse. Aumentei os tempos de exercícios e de sono durante a preparação para o concurso.

- Para valorizar minha pele negra, dou preferência a roupas com cores fortes, como amarelo e laranja.

- Para hidratar o cabelo, uso uma receita caseira com banana. É só fazer a vitamina de banana tradicional, com a fruta, leite e açúcar, mas em ponto consistente. Depois, é só aplicar nos cabelos, deixar agir e lavar normalmente. Funciona comigo.

- Também nos cabelos, uso óleo de coco. É possível fazer em casa, mas prefiro comprar o óleo extra virgem pronto, em lojas de suplementos e produtos naturais.

- Para manter a pele hidratada e saudável, corto as frituras da dieta.

>> RAPIDINHAS

Tênis ou salto alto? Salto alto, apesar do 1,80 m.

Estilo urbano, ousado ou romântico? Romântico.

Compra as roupas prontas ou manda fazer? Compro prontas.

A sensação de vencer o concurso numa única palavra? Honra.

>> O CONCURSO DE MISS
Entre as exigências do concurso de Miss Recife, está a altura mínima de 1,65 m. As candidatas também devem ter entre 18 e 26 anos, sem filhos, com proporções “harmoniosas” entre peso e altura.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.