• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
O arretado da moda A moda sem frescura do recifense Caio Braz "Eu era bem podre. 'Cafonérrimo'. Bem playboy. Eu me vestia de forma desinteressada para ser aceito", revela o consultor de moda em entrevista ao Diario

Por: Aline Ramos

Publicado em: 04/04/2017 10:14 Atualizado em: 04/04/2017 14:53

"Não tem esse papo de que homem não poder usar camisa rosa. Olhe pra frente! Se desprenda dos preconceitos", declara o fashionista. Foto: Caio Braz/Divulgação (Caio Braz/Divulgação)
"Não tem esse papo de que homem não poder usar camisa rosa. Olhe pra frente! Se desprenda dos preconceitos", declara o fashionista. Foto: Caio Braz/Divulgação

“Quando olho para as fotos, me arrependo até do que usei ontem. Uma vez deixei o cabelo crescer e ficou horrível. Eu não quero estar sempre gato. Quero estar diferente!”, conta aos risos, o artista, repórter televisivo, fashionista e consultor de moda, Caio Braz. O recifense de sotaque arrojado teve seu primeiro contato com a moda através da sua mãe que é estilista, Dona Lúcia Nunes. Mas foi aos 20 e poucos anos, que o pernambucano mergulhou numa aventura fashion. “Eu era bem podre. 'Cafonérrimo'. Bem playboy. Eu me vestia de forma desinteressada para ser aceito. Hoje tenho um estilo esportivo, urbano e gosto de experimentar formas e cores diferentes”, pontua.

Formado em publicidade, Caio, hoje com 30 anos, foi selecionado em 2009, no concurso Sunga Boy, que buscava encontrar alguém que topasse colocar uma sunga vermelha e viajar pelo mundo. Depois disso, trabalhou na TV Brasil e iniciou sua carreira na internet como Tarsila Marinho, uma it girl que fazia uma sátira do mundo da moda e dos blogs. Há cinco anos ao ver a personagem na web, a apresentadora do GNT Fashion, Lilian Pacce, o convidou para o programa, onde o stylist ganhou visibilidade nacional por suas entrevistas descontraídas e por falar sobre moda masculina sem firulas. Além de trabalhar no canal fechado, o consultor de moda tem um portal de lifestyle e um canal no Youtube, onde fala sobre assuntos diversos e apresenta as séries Oficina do Braz com tutoriais de customização e Roupa de Homem que aborda temas sobre moda e estilo.

Com um closet invejável com mais de 500 peças, o atual vício de Caio são os tênis brancos. Foto: Caio Braz/Divulgação (Caio Braz/Divulgação)
Com um closet invejável com mais de 500 peças, o atual vício de Caio são os tênis brancos. Foto: Caio Braz/Divulgação
Em 2012, o comunicador que atualmente mora no Rio de Janeiro, já produzia camisetas com frases descontraídas como “boy magia” lançou sua própria linha de roupas, a “Caio Braz Casa de Modas” com preços acessíveis e vendas pela internet. Em sua primeira coleção, o fashionista apresentou camisas masculinas superestampadas. “Resolvi começar a fazer minhas roupas, porque tudo que eu gostava de vestir ou era muito caro ou só tinha em brechós no exterior”, explica. No ano passado, Caio que adora viajar buscou inspiração no Deserto do Atacama e criou roupas e sapatos para sua marca tendo como foco principal a leveza das cores e a geometria do local. As peças atemporais que, apesar de serem voltadas para o público masculino, também podem ser usadas por mulheres, já que têm uma pegada agênero. “Quero fazer a próxima coleção em breve, mas ainda não tenho previsão para o lançamento”, revela.

Com um closet invejável com mais de 500 peças, o estilista não se considera consumista. “Eu compro pouco e ganho muita coisa. Gosto apenas do consumo de experiência. Olha que é bom ser meu amigo, a cada duas semanas faço uma limpeza no meu guarda-roupa para separar peças para doações”, brinca. Segundo o consultor de estilo, seu maior vício é o tênis branco que já passa dos 100 pares e chapéus. “Quando viajo, o chapéu já vai na cabeça ou amarrado na mochila. Esse assessório dá um ar de férias. Amo!”, conta.

Embora, Caio goste de se divertir com a moda, ele não se acha vaidoso ao extremo. “A minha maior vaidade é com meus dentes, pois usei aparelho por muito tempo. Também adoro experimentar as últimas novidades no meu cabelo. Recentemente até raspei as laterais, cortei uma franja no meio da testa e tirei a barba, seguindo a estética russa que, em breve, vai cair no gosto popular”, opina.

Caio usa as redes sociais para lançar suas tendências de estilo. Fotos: Instagram/@caiobraz/Reprodução
Caio usa as redes sociais para lançar suas tendências de estilo. Fotos: Instagram/@caiobraz/Reprodução


>> FAST FASHION COM CAIO BRAZ

Um livro –
Povo Brasileiro de Darcy Ribeiro.

Filme – Aquarius.

Look predileto – Todo branco.

Lugar – São Miguel dos Milagres, Alagoas.

Recife – Meu orgulho. Meu porto seguro.

Corrida –
Me faz sentir extremamente bem. Estou viciado.

Ícones da moda masculina – O jovem alfaiate Alexandre Won que faz ternos sob medida e de forma artesanal para várias personalidades daqui do Brasil e o russo Gosha Rubchinskiy, que se utiliza da estética que mistura a velha União Soviética, sua reação ao capitalismo pós 1991 e a descoberta das influências do resto do mundo.

Um conselho – Não tem esse papo de que homem não poder usar camisa rosa. Olhe pra frente! Se desprenda dos preconceitos. Experimente. Sua masculinidade não está presa a isso.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.