Gastronomia Jerimum até umas horas A 8ª edição do Festival Porto Gastrô, em Porto de Galinhas, explora o tema Jerimum e entra em cartaz em 24 restaurantes da praia

Por: Marina Simões - Diario de Pernambuco

Publicado em: 01/12/2018 10:29 Atualizado em: 01/12/2018 10:58

Foto: Julio Marcelo Guimarães/Divulgação
Foto: Julio Marcelo Guimarães/Divulgação
Com realização da Associação Porto da Boa Mesa (APBM), o Porto Gastrô chega à 8ª edição em 24 restaurantes em Porto de Galinhas. A proposta é movimentar o polo gastronômico do litoral Sul, além de destacar a culinária produzida na cidade. O festival desafiou os chefs a criarem um prato inédito e o tema deste ano é jerimum. O fruto cultivado em abundância na região aparece em várias receitas, que vão de farofas a purês e cremes, até a tradicional moranga. “Achei os pratos bastante criativos e inovadores. As casas souberam utilizar muito bem um ingrediente tão saboroso, versátil e querido por todos”, aponta o organizador João Adalto, da APBM.
 
Participando desde a primeira edição, o João Restaurante apresenta o Jerimum do Nordeste. A receita é da chef Ana Rosa Cabral, leva charque desfiada com purê rústico de jerimum, chips de macaxeira e cebola caramelizada. Para ela, há muitas vantagens de se trabalhar com o fruto. “É um produto que está sempre acessível, temos todos os meses do ano. Ele vai do salgado ao doce e abre um leque de opções incríveis”, conta. “Fiz um purê rústico. Amassa o jerimum com o garfo e tempera com farinha, ervas e manteiga de garrafa. Ele contrasta com o sabor da charque desfiada e a cebola caramelizada dá toque final na boca. Fiquei bem satisfeita com o resultado”, afirma.  

O chef Zé Ricardo, há dez anos no comando do restaurante Pescaria,  vai preparar o Risoto de camarão e jerimum. Ele substituiu o molho de tomate pelo ingrediente obrigatório. “A gente quis mostrar que o produto regional pode fugir do tradicional em qualquer receita. Ele cai muito bem com frutos do mar. Nosso risoto é preparado com leite de coco, jerimum e queijo parmesão para ficar bem consistente”, explica. O cozinheiro afirma que não há diferença entre abóbora e jerimum. “A fruta é a mesma, mas existem variedades. O jerimum caboclo é aquele verdinho e redondo muito usado para morangas”.

O restaurante Peixe na Telha apresenta a Moranga Pernambucana (moqueca de camarão na abóbora com tomates frescos, cebola, azeite de dendê). Enquanto, a chef  Lúcia Soares, da Comedoria Porto Mix, apostou na Lagosta Encantada (lagosta grelhada no de purê de jerimum com bacon). 

Entre os preparos inusitados, o Della Burguer criou o Ôxe Burguer, hambúrguer crocante de jerimum com carne de sol, queijo coalho grelhado, alface e tomate. Para acompanhar, chips de macaxeira e maionese verde. A Temakeria do Porto fez um Tempurá Arretado (tirinhas de abóbora, cenoura, cebola e camarão, empanados na massa de tempurá e fritos). 

A chef Cláudia Câmara, do La Crêperie, vai servir Dadinhos de jerimum e tapioca com queijo de cabra. O festival segue até o dia 9 de dezembro e é simultâneo ao Jazz Porto, com programação musical gratuita. Durante todo o festival, haverá ainda uma Arena Gastronômica, montada no centro de Porto, que vai realizar oficinas, capacitações com chefs e sommeliers e degustações. Participam nomes como César Santos, Luciana Sultanum, Taci Teti e Josiane Miguel. As inscrições estão disponíveis no local. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.