Bebidas Conheça os sete rótulos de cervejas pernambucanas disponíveis no mercado Produção artesanal da bebida conquistou os apreciadores do estado

Por: Katarina Bandeira

Publicado em: 09/05/2016 18:05 Atualizado em: 09/05/2016 19:39

Capunga homenageia no nome o bairro onde funcionou a primeira cervejaria pernambucana. Fotos: Katarina Bandeira/Esp. DP
Capunga homenageia no nome o bairro onde funcionou a primeira cervejaria pernambucana. Fotos: Katarina Bandeira/Esp. DP

Que o mercado de cervejas artesanais está crescendo dentro de Pernambuco ninguém tem dúvidas. Desde o ano passado, diversos estabelecimentos surgiram para dar conta da demanda crescente de apreciadores que procuram, cada vez mais, bebidas de qualidade. O Brasil é o terceiro maior consumidor de cerveja do mundo, de acordo com uma pesquisa divulgada pelo Sebrae, em 2014. O levantamento também mostra que, apesar de o estado estar entre os maiores consumidores nacionais, o número de cervejarias próprias não é tão significativo. Porém, essa é uma realidade que tem começado a mudar.

Quer entender mais sobre cervejas? Confira nossa matéria especial

Atualmente, sete cervejarias artesanais circulam os produtos pela capital pernambucana. Capunga, Ekaüt, Babylon, DeBron, Duvália, Patt Lou e Estrada são os títulos que possuem o MAPA, ou seja, o registro necessário para fabricação e distribuição oferecido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Devidamente "mapeados", os rótulos produzidos vêm encantando cada vez mas consumidores pelo Recife. É o que afirma o engenheiro Raphael Vasconcelos, um dos sócios do Apolo Beer Café, casa dedicada à venda de cervejas artesanais e cafés especiais, no Bairro do Recife.

"Desde que os rótulos pernambucanos chegaram, a gente percebeu uma baixa na procura das cervejas de fora e um aumento da procura daqui", conta o engenheiro.  "É muito melhor procurar uma cerveja feita aqui do lado, fresca, do que uma que passa muito tempo na alfândega. A qualidade é melhor", afirma Raphael. Ele conta que o consumo de cervejas locais já estar em torno de 4% em todo o estado.


Novidades


Mesmo com as dificuldades do processo de produção, que impõe a fabricação em pequenas escalas, dois rótulos entram no mês de maio com novidades. A Ekaüt, antes encontrada apenas no formato de chope, lançou recentemente uma versão engarrafada com 500 ml em alguns pontos conhecidos da cidade, como a Casa dos Frios, Diplomata, Frutaria, o Empório Pescadero e Apolo Beer. O consumidor pode escolher entre três tipos da bebida premium: duas largers, inspiradas em receitas alemãs e tchecas, e uma IPA (India Pale Ale).

Outra que também está trazendo novidades é a Capunga, que lança, na próxima quinta-feira (12), às 19h, no Beerdock, na Madalena, a nova American Pale Ale (APA), elaborada com dois maltes, um lúpulo de amargor e atravpes da técnica dry hopping (adição de lúpulo durante a maturação com intuito de colocar mais aroma na cerveja) com os lúpulos Citra, Cascade e Amarillo.

Curiosidades

Alguns nomes das cervejarias pernambucanas foram diretamente inspirados em elementos da cultura local. É o caso da Capunga, que faz referência ao bairro onde foi criada a primeira cervejaria das Américas, a La Fontaine, criada em 1640 por Maurício de Nassau. Ele trouxe para o país o mestre cervejeiro Dirck Dicx, da cidade Haarlem, na Holanda. O país inspirou também o nome de outra cervejaria, a DeBron, cujo significado é "a fonte", em holandês. A Duvália, disponível nos tipos Wiess e Pale Ale, é batizada em homenagem à rua em que os criadores moram, em Olinda. Já a Patt Lou faz referência aos criadores, Patrícia e Luiz.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.