Especial Lanchonetes matam a fome de quem procura opções para comer na madrugada Casas abrem em horários especiais para atender a quem está louco de fome após as baladas

Por: Thaís Mendonça

Publicado em: 13/11/2015 16:58 Atualizado em: 13/11/2015 18:24

O cardápio tem opções tão grandes quanto à %u201Clarica%u201D do freguês, a exemplo do X-Tudo do Fofão Burguer. Foto: Thais Caroline Mendonca/Esp.DP/D
O cardápio tem opções tão grandes quanto à %u201Clarica%u201D do freguês, a exemplo do X-Tudo do Fofão Burguer. Foto: Thais Caroline Mendonca/Esp.DP/D

Quem nunca saiu de um show, festa ou balada atrás de um lugar para matar a fome? Procurar um local aberto na madrugada recifense não é tarefa fácil, especialmente nos dias de semana. De olho em tal público, algumas lanchonetes funcionam 24 horas. Outras abrem exclusivamente à noite. O cardápio quase sempre é recheado de ingredientes, sabor… e calorias. Pontos de refeição, mas também de encontros e histórias curiosas.

O Fofão Burguer, localizado no bairro da Ilha do Retiro, tem um grande fluxo de consumidores a qualquer hora do dia. Mas, à noite, o negócio esquenta. Segundo o dono, Josenildo Francisco de Santana, de 39 anos, a proposta é justamente abranger o público noturno. "Temos clientes de vários os bairros. Médicos ou enfermeiros de plantão, jovens da balada, policiais. Não fechamos hora nenhuma. Nem porta, o ambiente tem”, explica.

O hambúrguer mais pedido durante a madrugada é o X-Tudo. Ele custa R$ 14 e é servido com hambúrguer, ovo, bacon, presunto, salsicha, verdura, calabresa, queijo prato, coalho, milho e batata palha. “Alguns ficam sem saber por onde começar a comê-lo, outros pedem talher. Muita gente que pede, especialmente mulheres, acabam estragando boa parte. Ele é realmente grande”, comenta.

Com mais de 20 anos de fundação, já foi palco de várias histórias. Que o diga o funcionário Sílvio da Silva Alves, 37. “Isso daqui no carnaval pega fogo. Já vi tanta mulher maluca atrás de homem e brigas. Traição? Nem se fala. A gente trabalha rindo o tempo inteiro”, afirma.

O Carlitos Burguer, da Torre, funciona até às 5h nos finais de semana e feriados. O horário também é flexível quando há uma grande festa no Recife. “Sempre estendemos o horário quando existe algum evento. Achamos importante atender bem e em vários horários os nossos clientes. Afinal, eles já saem da festa contando que o Carlitos estará aberto”, diz a dona da lanchonete, Josiane Cavalcanti, 46.

Na casa, o mais pedido é o “Carlitos”, feito com filé, queijo, presunto, bacon, ovo, verduras, cebola assada no molho shoyu, milho e batata palha. Ele custa R$ 21 e é feito para matar a fome de quem sai da balada. "É um dos mais pedidos, por conta do tamanho e dos ingredientes. Os clientes adoram a combinação. E com a nossa maionese especial, fica melhor ainda”, garante.

Dormem esperando o pedido

Em Olinda, também há opção aos notívagos. O Big Burguer, em Casa Caiada, é conhecido pelo tamanho dos pães e pela maionese caseira. “Foi pensado para aquele cliente que sai de uma festa doido para bater uma larica. É uma lanchonete de bairro feita para atender o povo da madrugada”, comenta o proprietário, Fábio Alves, de 26 anos.

O gerente, que passa noite e madrugada no local, conta as peças inusitadas que aparecem para comer. "Na maioria dos casos, os jovens deixam as festas e param aqui. Alguns bêbados dormem esperando o pedido, chegam falando alto e, muitas vezes, ficam impressionados com o tamanho do pão. Fechamos às 2h, vemos de tudo um pouco aqui", disse Rodrigo Neves, 35, gerente da lanchonete.  O Big Burguer custa R$ 10 e leva hambúrguer, queijo, ovo, presunto, verdura e a maionese da casa. “Os maiores são os mais pedidos”, afirma Fábio Alves.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.