Lançamento Adegas de restaurantes do Recife ganham novo vinho português Quinta Maria Izabel é produzido na região do Douro, em propriedade do empresário João Carlos Paes Mendonça

Publicado em: 20/08/2015 22:20 Atualizado em: 20/08/2015 22:29

O Tinto chega em garrafas de 750ml, 1,5 litro, 3 litros e 5 litros. Já o Porto Vintage tem opções de 375ml e 750ml. Ainda estão disponíveis o Branco e o Rosé. Foto: Igo Bione/Divulgação
O Tinto chega em garrafas de 750ml, 1,5 litro, 3 litros e 5 litros. Já o Porto Vintage tem opções de 375ml e 750ml. Ainda estão disponíveis o Branco e o Rosé. Foto: Igo Bione/Divulgação


Tem novidade portuguesa nas adegas do Recife. Produzido no Douro, região no Norte lusitano, o vinho Quinta Maria Izabel chegou esta semana a mais de 20 restaurantes, lojas especializadas e empórios da cidade. A bebida é fruto de um novo investimento dos empresários João Carlos e Reginaldo Paes Mendonça, que adquiriram uma propriedade de 130 hectares na belíssima região de vinhos - responsável por 22% de toda produção de Portugal. Para orientá-los na nova empreitada, convidaram o renomado enólogo da Europa, Dirk Niepoort.

O resultado de três anos de planejamento e cultivo finalmente chega ao mercado local. A primeira produção rendeu 50,3 mil garrafas de tamanhos distintos: 26 mil delas são de vinho tinto, 8,9 mil de branco, 1,3 mil de rosé e 3,9 mil de porto vintage. “Cuidamos desses vinhos como filhos. Foram acompanhados de perto, mas deixamos que eles seguissem seus caminhos, sem química, com pouca tecnologia”, entrega Dirk Niepoort. Os “filhos” tornaram-se vinhos gastronômicos flexíveis, que harmonizam bem com diferentes entradas e principais.

O Tinto Safra 2012, por exemplo, apresenta cor granada e aroma de frutas silvestres e ameixa. Foi produzido com vinhas entre 20 e 30 anos, predominantemente Touriga Nacional e Touriga Francesa. No Recife, ele é apresentado em garrafas de 750ml, 1,5 litro, 3 litros e 5 litros.

O refrescante Branco Quinta Maria Izabel Safra 2014 apresenta notas de baunilha, madeira e especiarias. Foi parcialmente fermentado em barrica. “Aposto muito no frescor deste branco”, destaca Dirk.

O Rosé apresenta uma cor salmão brilhante, com notas de frutas vermelhas, flores brancas e especiarias. O resultado é um vinho fresco e delicado. Já o Porto Vintage é de tonalidade rubi, de grande concentração. “Acredito que educaremos os brasileiros a consumirem mais vinho do porto, o pai dos vinhos portugueses”, comenta o enólogo. Este será vendido em garrafas de 375ml e 750ml.

Região do Douro é responsável por 22% da produção de Portugal. Foto: Quinta Maria Izabel/Divulgação
Região do Douro é responsável por 22% da produção de Portugal. Foto: Quinta Maria Izabel/Divulgação

 
Distribuição
O empresário João Carlos Paes Mendonça explicou que o nome do vinho foi uma homenagem às mulheres brasileiras e portuguesas - a esposa (Maria Auxiliadora) e a princesa Izabel. Depois do Recife, a meta é distribuir o Quinta Maria Izabel em todo o Nordeste e chegar em todo o Brasil. “Vamos partir também para Portugal, Bélgica, Macau e Angola”, entrega o empresário.

No Recife, o vinho estará disponível nas adegas dos restaurantes Rui Paula, Bar Chef, Kizu, Mingus, Chicama, Chiwake, Azú, Nez, Camarada, Ça Va, Toscana, Beijupirá, Leite, Tapa de Cuadril e Bargaço, além da Casa dos Frios e no Perini RioMar e nas lojas Ingá Vinhos.  No site da Ridouro Importadora (www.ridouro.com.br), os vinhos estão disponíveis para venda direta ao consumidor na quantidade mínima de seis garrafas.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.