Praia Creperia ostenta cardápio com mais de 70 opções em Porto de Galinhas Prestes a celebrar 21 anos de atividades, o badalado La Crêperie é uma das marcas do cenário gastronômico do Litoral Sul

Por: Diogo Carvalho

Publicado em: 13/03/2015 17:00 Atualizado em: 13/03/2015 22:16

Crepe de lagosta é um dos mais novos no cardápio. Foto: Thiago Cavalcanti/ Divulgação
Crepe de lagosta é um dos mais novos no cardápio. Foto: Thiago Cavalcanti/ Divulgação
A história de um dos restaurantes mais antigos do famoso balneário de Porto de Galinhas começa no Velho Mundo, em 1990, quando a empresária Cláudia Câmara largou a vida no Recife para ir atrás de um grande amor, com uma mochila nas costas. À procura de trabalho no sul de Portugal, ela conseguiu uma vaga como lavadora de pratos numa pequena creperia de uma chef francesa.

"Não demorou muito para ela ver meu interesse na cozinha e me ensinou a preparar as massas e recheios dos crepes. Tudo me encantava, afinal, era uma comida simples, mas com toques refinados. Na época, não havia nada do tipo no Recife", lembra Cláudia.

Eis que a saudade a pegou pelo braço e a trouxe de volta, quatro anos depois, junto com o namorado, para Pernambuco. Para ganhar "uns bons trocados", resolveu vender crepes nas ladeiras de Olinda em pleno carnaval. "Foi um sucesso! O que me motivou a abrir meu próprio negócio", conta a chef que gosta de ser chamada de "cozinheira".

De sobremesa, a opção é o Barbo, que consiste em uma massa de chocolate ganache de brigadeiro com Ovomaltine. Foto: Thiago Cavalcanti/ Divulgação
De sobremesa, a opção é o Barbo, que consiste em uma massa de chocolate ganache de brigadeiro com Ovomaltine. Foto: Thiago Cavalcanti/ Divulgação

Em julho de 1994, numa época em que não havia quase nenhum restaurante em Porto de Galinhas, Cláudia abre um box na Rua da Esperança. Sem estrutura, mas com talento de sobra. "Eram só 12 pratos, 12 talheres e duas mesas. Eu cozinhava, fazia os pedidos e atendia os clientes. Eram só 10 sabores, alguns custavam R$ 1". Em 1998, a La Crêperie ganha o espaço onde funciona até hoje, na Rua Beijupirá.

Prestes a comemorar 21 anos de atividades, a creperia ostenta um cardápio com mais de 70 pratos, sendo 50 deles crepes doces e salgados. Tudo criado e preparado pela própria Cláudia. As sopas e massas também já cativaram o paladar dos clientes, assim como as saladas, conhecidas como as mais refrescantes do Litoral Sul. A Galápagos (R$ 28,80) - com escalopinhos de mignon, tomate cereja seco e muçarela de búfala - e a Oki (R$ 29,20) - com pétalas de batata-doce, manga, salmão e shitake - estão entre as preferidas.

Dos crepes, o destaque vai para o de Lagosta com camarão (R$ 29,90), um dos mais recentes, e o Barbo (R$ 24,30), com uma sensacional massa de chocolate e ganache de brigadeiro com Ovomaltine. Quer uma dica do que pedir para acompanhar? Os sucos de uva e de kiwi são imperdíveis!

Cláudia Câmara começou o restaurante há 21 anos. Foto: Thiago Cavalcanti/Divulgação
Cláudia Câmara começou o restaurante há 21 anos. Foto: Thiago Cavalcanti/Divulgação


Para agosto, ela já estuda uma reformulada no cardápio, dando uma atenção especial aos veganos e celíacos. "Já estou em fase de testes para a massa dos crepes sem glúten. Haverá massas com quinoa também, tudo muito especial", adianta. Entre os planos, também, a tão sonhada hortinha onde ela mesma cultivará as ervas e verduras fresquinhas para suas saladas que fazem tanto sucesso.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.