Gastrô em Petrolina Especial: Onde comer peixe fresquinho no Vale do São Francisco Vilarejo de Pedrinhas é point nos fins de semana de Petrolina

Por: Diogo Carvalho

Publicado em: 30/01/2015 20:21 Atualizado em: 09/02/2015 22:13

Doze quiosques, como o de Seu Zé, vendem peixes na brasa na beira do Velho Chico. Créditos: Diogo Carvalho/DP
Doze quiosques, como o de Seu Zé, vendem peixes na brasa na beira do Velho Chico. Créditos: Diogo Carvalho/DP

Próximo à Ilha do Pico, a 30 quilômetros do centro de Petrolina, esconde-se um pequeno vilarejo de pescadores, utilizado como uma espécie de “balneário” no fim de semana. Nesse trecho do Velho Chico, é possível pescar dourado, mandim, macamão, cari, surubim e até tambaqui, que acabam indo parar na brasa de um dos 12 quiosques instalados no polo há 18 anos.

Confira um roteiro de restaurantes em Petrolina

Um dos mais antigos dele, o Quiosque Peixada Pai e Filho, é comandado pelo seu Zé de Lima. “Hoje em dia, só para o rio frescar. Deixo os outros pescarem”, brinca. Num domingo, ele chega a vender 40 peixes assados, pelo preço de R$ 40 a R$ 350 (dependendo da espécie e do peso do pescado). No tempero, apenas sal e pimenta do reino. No recheio, uma farofa com verdurinhas (coentro, cheiro verde, cebolinha, cebola) e queijo coalho. “Já me ofereceram R$ 100 mil pelo ponto, mas nunca pensei em largá-lo. Foi graças a ele que criei meus filhos. Quero continuar nessa vidinha, curtindo a paisagem”.

SERVIÇO
Do ponto final no centro de Petrolina, saem vans a cada hora para Pedrinhas. O trecho custa R$ 4.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.