Gastrô em Petrolina Especial: Uma autêntica portuguesa no calor do Sertão Dona Carmem Branco prepara bacalhau e pastéis de Belém exclusivos no seu Solar da Praça

Por: Diogo Carvalho

Publicado em: 30/01/2015 19:41 Atualizado em: 09/02/2015 22:09

Batatas rosti e bacalhau no charmoso bistrô comandado pela chef portuguesa, uma apaixonada por Petrolina. Fotos: Diogo Carvalho/DP
Batatas rosti e bacalhau no charmoso bistrô comandado pela chef portuguesa, uma apaixonada por Petrolina. Fotos: Diogo Carvalho/DP

Quando se mudou para o Brasil, há 32 anos, a artistas plástica portuguesa Carmem Branco nunca imaginaria que iria acabar preparando pratos de bacalhau em pleno Sertão de Pernambuco. Veio para as terras tropicais com o marido, engenheiro. Passou pelo Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília, até parar em Petrolina, há 15 anos, quando o companheiro veio a falecer. “Resolvi ficar por aqui, gosto do calor. Sou formada em psiquiatria, mas trabalho com artes plásticas. Montei exposições por 10 anos aqui, até resolver montar um espaço cultural que também funcionasse como café”, lembra Carmem.

Confira um roteiro de restaurantes em Petrolina

“Era uma péssima dona de casa. Até que resolvi fazer um curso na São Braz do Recife e peguei gosto pela coisa. Pensei: ‘vou abrir um bistrôzinho em Petrolina e brincar com comida”, conta. Foi assim que surgiu o Solar da Praça, animado point que conseguiu agradar a todos os públicos. “Minha clientela é bem fixa. Tem senhoras que vem tomar chá da tarde. Há um grupo que vem aqui também só para encomendar os pastéis de Belém (R$ 3). No happy hour, a turma jovem toma conta das mesas da calçada, onde faço noites de MPB nas sextas-feiras”. O espaço ainda serve como sala para aulas de artes plásticas nas quartas-feiras e como vitrine para trabalhos de artistas lovais, sejam eles pintores, poetas ou cantores.

Com a família portuguesa, aprendeu a preparar os carros-chefes do Solar da Praça. O Bacalhau a Braz (R$ 28) e o Escondidinho de Bacalhau (R$ 28), são temperados na medida certa e servidos em porções generosas. “Minha mão é mais leve. Não gosto de usar tanto azeite”, entrega. No entanto, uma receita chama mais a atenção da clientela: as batatas rosti, que aprendeu com uma amiga inglesa. Entre os recheios, frango (R$ 22), carne seca (R$ 22), estrogonofe (R$ 22) e, claro, bacalhau (R$ 25). “Dá um pouco de trabalho, pois aqui não temos as batatas asterix, que têm menos água e são próprias para esta receita. Não é tão fácil achar alguns ingredientes aqui no Sertão. Já deixei de fazer paellas pela falta de abastecimento da cidade”, lamenta. “Mas se vivo em um lugar, tenho que aproveitar o que ele me dá. Tenho que me adaptar. Nunca falarei mal de uma cidade onde moro. Só troco Petrolina por Portugal na hora de sair de férias”, comenta, com um sorriso tímido.

Uma boa pedida também é simplesmente sentar e admirar a pracinha em frente ao bistrô tomando um chá. Quente ou gelado, são 16 sabores. Entre os cafés, destaque para os gelados Affogato (R$ 10) - sorvete de crème, café, chantili e calda de chocolate -, Frapê (R$ 10) e a Nega Maluca com chantili (R$ 12).

Solar da Praça
Endereço: Praça Sete de Setembro, 2078, Petrolina
Informações: (87) 9954-4580

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.