Gastrô em Petrolina Especial: Em breve, os bodes vão vir da África Bode Assado Curaçá é um dos destaques no complexo do Bodódromo

Por: Diogo Carvalho

Publicado em: 30/01/2015 19:37 Atualizado em: 09/02/2015 22:07

São mais de 12 cortes de carneiro. Félix comemora o sucesso da marca e vai apostar em ovinos africanos. Fotos: Diogo Carvalho/DP
São mais de 12 cortes de carneiro. Félix comemora o sucesso da marca e vai apostar em ovinos africanos. Fotos: Diogo Carvalho/DP

Criado em 2000, o Bodódromo ficou conhecido por ser o maior complexo gastronômico da América Latina especializado em carne de bode. Mas isso foi há tempos. Afinal, cerca de 90% dos pratos que são vendidos hoje são à base de de carneiro, mais macia e saborosa (e menos fedorenta). “O carneiro vai para o espeto e o bode é que ganha a fama”, brinca José Soares Félix Júnior, proprietário do Bode Assado Curaçá, um dos restaurantes mais famosos do local.

Confira um roteiro de restaurantes em Petrolina

A carne dos ovinos vira linguiça, buchada, sarapatel, cozido e até pizza. Só no Curaçá, são abatidos 400 carneiros (8 mil quilos) por mês que vão virar os 12 pratos principais da casa, como o Assado (R$ 51,50), Picanha (R$ 60,50), Guisado (R$ 43,50), Carne de sol (R$ 55) e o Pernil desossado (R$ 98). “Os que vão no espeto são preparados na brasa, apenas com sal. Não há temperos que interfiram no sabor da carne. Tudo bem servido, com macaxeira frita, feijão, farofa, pirão de bode, purê de macaxeira, arroz, vinagrete. Aqui, não tem nada gourmet. A ordem é encher o bucho”, brinca Félix. Para 2016, o projeto do Curaçá é ser o primeiro estabelecimento da região a trabalhar com o Dorper, uma raça de carneiro africano muito mais robusto.

Bode Assado Curaçá
Endereço: Av. São Francisco, Areia Branca, Bodódromo - Petrolina
Informações: (87) 3864-4601
Funcionamento: diariamente das 11h30min até último cliente.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.