Gastrô em Petrolina Especial: Franbopeixe, um nome engraçado para tanto sabor Restaurante aposta em pratos à base do cari, peixe conhecido como 'a lagosta do São Francisco'

Por: Diogo Carvalho

Publicado em: 30/01/2015 19:01 Atualizado em: 09/02/2015 21:30

"Eu não sabia cozinhar nada quando me casei. O primeiro frango que preparei foi para o lixo. Hoje, quero criar pelo menos um prato novo no meu cardápio a casa seis meses". Quem nos conta a história é Irene Maria, cozinheira e proprietária do Franbopeixe, restaurante que nome engraçado, que acaba de completar seis meses de funcionamento em Petrolina.

Confira um roteiro de restaurantes em Petrolina


Apesar de ser recém-chegada à maior cidade do Sertão de Pernambuco, a história de Irene com a culinária é bem antiga. "Eu vendia cachorro-quente com batata-frita em frente ao clube AABB de Santa Maria da Boa Vista. Diziam que era gostoso, daí resolvi investir. Junto com meu marido, Antônio Carlos, inaugurei o Restaurante Fim de Rua. Era muito simples, não havia nada parecido por perto. Ao longo de 17 anos, a região começou a crescer e ele perdeu o conceito de 'fim de rua'", brinca.

Foi então que surgiu o Franbopeixe, marca que a família mantém há 8 anos. "Queríamos fazer uma brincadeira com as palavras 'frango', 'boi' e 'peixe'. Mas tinha gente que lia o 'bo' como se fosse bode. Como queríamos mostrar a diversidade do nosso cardápio, algo que não existia naquela cidade na época, aceitávamos", lembra, aos risos. Mas a própria Santa Maria ficou pequena para o talento de Irene.

O Franbopeixe entrou no caminhão e se mudou com tudo para Petrolina. O novo espaço, um pouco afastado do Centro, conta com mais de 3 mil metros quadrados. "A ideia era fazer um ambiente bem família e um espaço para eventos", diz a chef. A grande área verde conta com campinho, playground, cama-elástica e espreguiçadeiras. Dá até para fazer a refeição debaixo da sombra de uma grande mangueira. 

Cari na telha impressiona pelo molho de tomate adocicado; Sobremesa mescla sorvete de abóbora com cocada quente
Cari na telha impressiona pelo molho de tomate adocicado; Sobremesa mescla sorvete de abóbora com cocada quente

O restaurante mais família de Petrolina também é o que investe mais pesado em pratos à base do peixe Cari, conhecido como "a lagosta do São Francisco". "Talvez ele seja o habitante mais exótico do Velho Chico. Ele sofre preconceito dos moradores da região, que dizem que ele é feio. Mas sua carne é muito saborosa. Até pensei em colocar um aquário cheio de caris no restaurante, mas acho que os clientes iam fugir de medo", comenta aos risos.

A especialidade da casa é o Cari na Telha (R$ 59 para duas pessoas e R$ 99 para quatro). O peixe é servido numa telha, mergulhado num molhe de tomate adocicado, com manga, alcaparras, azeitonas, pimentões e cebola, acompanhado de arroz de leite e purê de batatas gratinado. O cari ainda é servido ao molho de camarões (R$ 45), à milanesa (R$ 49), como moqueca (R$ 70) e carizada (R$ 40). A Tilápia à Duquesa (R$ 80) e o Bacalhau com nata (R$ 80) também têm boa saída. "Pensei até em fazer um prato de fígado de bode com maxixe picado, mas preferi fazer algo mais sofisticado. Por isso, tirei até a buchada. Não dá para concorrer com os restaurantes de comida regional", diz Irene.

Nas sobremesas, os destaques são a Pega Marido (R$ 4), um doce de goiaba com creme de leite, e a Eu Não Acredito (R$ 7), um sorvete cremoso de abóbora servido com cocada quente.

Franbopeixe
Endereço: Rua da Flauta, 151, Petrolina
Informações: (87) 3867-5023

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.