Ingrediente Frutas vermelhas dão toque de sofisticação em qualquer cardápio Originárias de regiões de clima temperado, onde crescem abundantemente em bosques e florestas na época do verão

Por: Patrícia Crespo - Correio

Publicado em: 27/01/2015 16:00 Atualizado em: 27/01/2015 17:06

As mais comuns em terras tropicais são: a cereja, que não é berry, mas é cherry, as amoras, blackberries, as framboesas, raspberries, e os mirtilos, blueberries. Foto: Evandro Matheus/Esp. CB/D.A Press
As mais comuns em terras tropicais são: a cereja, que não é berry, mas é cherry, as amoras, blackberries, as framboesas, raspberries, e os mirtilos, blueberries. Foto: Evandro Matheus/Esp. CB/D.A Press
Pelo mundo afora, as “berries”, bagos de cascas comestíveis, desfilam sempre com elegância e sofisticação, pontuando cardápios e receitas de naturezas diversas. Fazem bonito em qualquer preparação. Depois de colhidas não duram quase nada. Então, ou vão pra boca ao natural ou vão pra panela. Uma calda brilhante de frutas vermelhas sempre terá bom uso. Nem usei açúcar para poder utilizá-la também em receitas salgadas.

Originárias de regiões de clima temperado, onde crescem abundantemente em bosques e florestas na época do verão, essas frutinhas silvestres são muito apreciadas por toda a Europa e boa parte da América do Norte. Nos dias de hoje são cultivadas comercialmente em várias regiões brasileiras com bons períodos de baixa temperatura necessários para a floração e maturação dos frutos. Esses pequeninos mimos comestíveis, que se comem com casca e tudo, têm tons intensos e vibrantes. Agradam ao paladar pelo frescor, textura e acidez naturalmente balanceados. Nos países do hemisfério norte existem mais tipos de “berries” do que as que aqui conseguiram brotar. As mais comuns em terras tropicais são: a cereja, que não é berry, mas é cherry, as amoras, blackberries, as framboesas, raspberries, e os mirtilos, blueberries.

Não podemos nos esquecer dos tradicionais morangos, strawberries. Outras “berries”, como o cranberry, ou oxicoco, muito comum na Cordilheira dos Andes, ainda não aportaram em nossas terras, mas é possível conhecer seu sabor em forma de suco, disponível em alguns mercados especiais. As groselhas, gooseberries, também não são vistas em nossos solos, mas um xarope artificial fez sucesso com a criançada nos anos 1970. Uma coisa é certa: esse mix de frutas vermelhas, além de ser extremamente saboroso, faz um bem danado para a saúde.

Estudiosos dizem que são capazes de evitar o envelhecimento precoce, reduzem os riscos de diabetes, câncer e doenças cardíacas. Temos motivo de sobra para usar e abusar das “berries”. A receita que apresento trouxe de recente viagem à Irlanda. Por lá degustei esses deliciosos pãezinhos com um chá bem quente. Mas nesse calor escaldante, aconselho a companhia de uma bebida refrescante.

*Formada em jornalismo pela Puc-Minas e em Gastronomia pela Estácio de Sá

Scones de mirtilo são receita trazida da Irlanda. Foto: Jair Amaral/EM/D. A Press
Scones de mirtilo são receita trazida da Irlanda. Foto: Jair Amaral/EM/D. A Press


Scones de mirtilo

Ingredientes

3 xícaras de farinha de trigo, 2½ colheres de chá de fermento em pó, ½ colher de chá de bicarbonato de sódio, ¾ colher de chá de sal, ¾ de xícara (170g) de manteiga gelada,cortada em cubos, 1 ovo, ¾ de xícara de coalhada integral, 1 xícara de mirtilos frescos, açúcar de confeiteiro para polvilhar

Modo de preparo

Pré-aqueça seu forno a 200 graus.Forre uma forma retangular com papel-manteiga e reserve. Em uma tigela grande, misture a farinha, fermento em pó, bicarbonato de sódio e o sal. Adicione a manteiga e vá misturando com os dedos até formar uma farofa grossa (você pode usar uma faca sem ponta para ajudar nesse processo). Em outra tigela, misture o ovo com a coalhada e bata ligeiramente com um garfo. Adicione essa mistura à tigela com a farinha de uma vez só e sove o suficiente com as suas mãos até formar uma massa macia. Adicione os mirtilos. Em uma superfície enfarinhada, sove ligeiramente a massa somente o suficiente para incorporar os mirtilos. Faça bolinhos pequenos de massa. Disponha os scones sobre a forma com papel-manteiga. Asse por 15 a 20 minutos ou até que eles fiquem douradinhos por cima. Sirva-os quentes, polvilhados com açúcar de confeiteiro.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.