Bebida Enólogo e produtor de vinhos Adolfo Lona conta sobre as grandes vinícolas do Rio Grande do Sul Lona foi o primeiro vinicultor a trazer o espumante nature para o Brasil

Por: CorreioWeb

Publicado em: 26/12/2014 11:41 Atualizado em:

O argentino Adolfo Lona apostou nas uvas gaúchas para produzir espumantes . Foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D. A Press
O argentino Adolfo Lona apostou nas uvas gaúchas para produzir espumantes . Foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D. A Press

O que leva um argentino a atravessar a fronteira para produzir espumantes do lado de cá? "Foi mesmo por acaso", conta Adolfo Lona, reconhecido enólogo e produtor de vinhos da região de Garibaldi (RS) para quem as mulheres são as responsáveis pelo aumento de consumo da festiva bebida no país.

Há mais de três décadas residindo no Brasil, ele trabalhou em grandes vinícolas e quando resolveu abrir a própria marca, focou-se em alguns parâmetros. “Eu sempre serei um produtor pequeno. Porque, no negócio de uvas, não tem como crescer sem fazer concessões na qualidade ou no estilo do vinho”, destaca.

Lona foi o primeiro vinicultor a trazer para o Brasil o conceito do espumante nature, variedade que não leva adição de açúcar no processo de fabricação. "Mesmo sendo mais seco, ele é agradável ao paladar e combina com muitos pratos", garante.

Para o vinicultor, a bebida carrega ainda um imaginário de comemorações. "Eu entendo que qualquer pessoa que abre uma garrafa de espumante está em um momento de celebração, vai ter um momento agradável e precisa de uma bebida à altura", justifica.

Você sabia?
Nature é uma tradicional classificação de espumantes muito usada na Europa e recentemente incluída na legislação brasileira que significa "natural ou sem adição de açúcares". Após a finalização da segunda fermentação realizada no vinho-base é adicionado açúcar na forma de um xarope conhecido como licor de expedição, para que a espuma seja formada e o gás carbônico, incorporado. Nos espumantes nature não é colocado este ingrediente. Na França, este espumante também é chamado de pas dosè (não dosado) ou dosage zéro (zero de dosagem).

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.