Ano Novo O que vai virar tendência nas mesas de 2015? Os chefs fazem suas apostas César Santos acredita no bacalhau e Pedro Godoy também aposta nos frutos do mar, principalmente no siri mole

Por: Vitória Maciel - Diario de Pernambuco

Publicado em: 26/12/2014 10:14 Atualizado em: 29/12/2014 17:34

Os chefs apostaram em quinoa, frutos do mar, macaxeira e no produtor rural. Fotos: Roberto Ramos/DP/D.A Press, Maria Eduarda Bione/Esp.DP/D.A Press, Annaclarice Almeida/DP /D.A Press
Os chefs apostaram em quinoa, frutos do mar, macaxeira e no produtor rural. Fotos: Roberto Ramos/DP/D.A Press, Maria Eduarda Bione/Esp.DP/D.A Press, Annaclarice Almeida/DP /D.A Press
Mais um ano se despede e com ele as modas gastronômicas chegam ao fim. Essa foi a temporada do naked cake, do ceviche e da chegada das paletas mexicanas no Recife. Assim como em outras áreas, é possível notar que na gastronomia há épocas em que certos ingredientes estão em evidência e é possível encontrá-los em quase todos os restaurantes. O Gastrô conversou com alguns chefs locais para apontarem quais serão as apostas nos cardápios para 2015.

Biba Fernandes, do Chiwake e Chicama
“Eu sempre aposto no frescor e na qualidade dos produtos, é a parte principal de tudo. Mas pensando nesse frescor, estamos investindo mais na quinoa. Temos uma linha mais saudável, mas além disso, acrescentamos a quinoa em outros pratos, como nos ceviches, tiraditos e nas saladas. Assim, transformamos o prato em uma refeição e não numa entrada”.

Pedro Godoy, do Vaporetto
“Aposto principalmente nos frutos do mar e mais ainda no siri mole. É um produto que está crescendo muito o número de fornecedores no Recife e ele está vendo cada vez maior, mais limpo e de melhor qualidade, além do preço que também está baixando. Ainda não vendo ele no Vaporetto, mas adoro comer uma boa moqueca de siri mole”.

Rivandro França, do Cozinhando Escondidinho
“Eu acredito na macaxeira. Em janeiro eu vou voltando a produzir o bombom de macaxeiro e acho que ela ainda vai fazer sucesso próximo ano, quero permanecer neste assunto regional. Até por uma questão econômica, acredito que ao invés de novos ingredientes, será investido em novas técnicas, descobrir novos sabores com o que já existe. A popular macaxeira vindo de uma forma diferente”.

André Saburó, do Quina do Futuro e Sumô
“A grande bola da vez para o próximo ano, eu acredito que será o produtor rural de produção familia. Cada vez mais o chefs estão atrás desses produtos que podes até ser feitos especificamente para os restaurantes. Um exemplo são os brotos, broto de rúcula, de beterraba, de coentro e aqui no restaurante, já estamos pedindo também os mini legumes e começando a introdução desses ingredientes. Essa ligação com o produtor rural dá bons resultados e melhora a qualidade do produto, mais fresco e benéfico para a saúde”.

Beterraba, chuchu e bacalhau são algumas das apostas. Fotos: Gregorio Rosa/Divulgacao, Blenda Souto Maior/DP/D. A Press, Nando Chiappetta/DP/D. A Press
Beterraba, chuchu e bacalhau são algumas das apostas. Fotos: Gregorio Rosa/Divulgacao, Blenda Souto Maior/DP/D. A Press, Nando Chiappetta/DP/D. A Press

Claudia Luna, do Seu Luna
"Durante este ano, vi muitos produtos da terra, dos pequenos produtores. Ainda acredito na valorização desse produto. Além disso, aposto também na beterraba e no chuchu. Será a época de valorizar os ingredientes pouco explorados ou até esquecidos no nosso dia a dia".

Raline Aragão, do Barchef
"Acredito cada vezmais em pratos com ingredientes misturados. Espero que os chefs passem a utilizar mais produtos de alto e baixo custo juntos em uma única receita. O valor cultural também presente nessas misturas, mesclando iguarias de fora com insumos da terra, do nosso estado".

César Santos
“Eu espero ver o movimento da gastronomia mais forte com a cultura. Próximo ano será de novos governos e queremos uma atenção melhor aos acontecimentos gastronômicos dentro do estado. Como ingrediente, estou apostando muito este ano no bacalhau. O novo prato da Boa Lembrança, do Oficina do Sabor, é o bacalhau dourado”.

Anna Corinna
“Acredito que ainda vai crescer essa linha chocolate gourmet. Um precentual maior de cacau nas receitas, um doce mais saudável, as pessoas estão cada vez mais preocupadas com o que estão consumindo. Outra coisa importante é a monoporção. Estamos saindo dos bolos maiores e apostando em uma linha minimalista, de porção única. Por fim, o brigadeiros sempre em alta, outras releituras, mas sempre brigadeiro”.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.