Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Fotografia » Recife é fotografado através das lentes dos competidores Durante os treinos e competições, atletas de rua conhecem e registram a cidade através das suas próprias lentes

Caio Wallerstein

Publicação: 30/09/2017 17:04 Atualização: 30/09/2017 17:32

Quem pedala e corre pela cidade tem o privilégio de conhecê-la por diferentes ângulos e perspectivas. Por poderem realizar os treinos em quase qualquer lugar - basta que tenha uma pista plana -, os atletas se propõem, por vezes, a se exercitarem em locais incomuns. Nas competições, conhecem outras cidades. E muitos deles aproveitam a oportunidade para registrar os acontecimentos. A mania de compartilhar os momentos da vida adentra também o mundo do esporte. E os exemplos dela são muitos.

Lauro Neto compartilha com amigos nas redes sociais imagens que ganham o mundo (Lauro Cesar / Arquivo Pessoal)
Lauro Neto compartilha com amigos nas redes sociais imagens que ganham o mundo
O estudante Lauro César é um dos atletas que teve no esporte a chance de ir para lugares inesperados. A sua trajetória como triatleta teve início há três anos, quando, através de um amigo com quem já praticava corrida, ele decidiu incrementar a rotina de atividades físicas.

No triathlon - além das suas variantes, como o duathlon e o biathlon -, Lauro teve a oportunidade de competir e, consequentemente, conhecer novos lugares. As experiências no esporte têm sido documentadas por meio de suas fotografias, seja nas piscinas ou nas pistas.

“Sou um atleta amador e pratico o esporte porque gosto, sem buscar alto rendimento ou premiações. Participar é um hobby, e o gosto pelas fotos está incluído nisso”, conta Lauro, que termina no final do ano a graduação em Educação Física. “Até como futuro profissional da área, também vejo uma importância grande em registrar minha caminhada no esporte”, complementa.

Com o auxílio de uma câmera portátil, o atleta faz registros da sua rotina de treinos e compartilha nas redes sociais. “Para onde eu vou, levo a máquina, que é pequena e prática, e registro meus treinos, tanto na natação quanto na corrida e no ciclismo. Compartilho tudo nas redes sociais, até porque eu era obeso, emagreci e muita gente acompanhou essa mudança”.

Ao longo da caminhada no esporte, Lauro participou de diversas competições. Algumas delas, em especial, não saem da sua cabeça. “A meia-maratona de Natal, num lugar bonito e com a chegada na Arena das Dunas, foi muito legal. Outra que também ficou na memória foi uma corrida de trail running, em São Lourenço, em uma paisagem espetacular”, recorda.

Corredor e DJ
Quando não está competindo, Raphael Neto também corre e contempla paisagens (Raphael Netto / Arquivo Pessoal)
Quando não está competindo, Raphael Neto também corre e contempla paisagens
Participar de corridas de rua faz parte da rotina do administrador Raphael Netto. Quando não está competindo, ele é o DJ de vários eventos do gênero. Nos treinos ou nas competições, faz questão de fotografar e manter registros do desenvolvimento.

“Treino três vezes por semana e, sempre que possível, participo de competições. Em algumas, não posso correr porque sou o DJ da corrida”, explica Raphael, que, nessas situações, sempre toca música eletrônica. “Toco sempre músicas compatíveis com o perfil do evento, em gêneros como o trance e o house”.

Além de registrar o progresso nos treinos, Raphael compartilha também as imagens nas redes sociais. “Gosto de registrar treinos em locais bonitos e mostrar às pessoas que correr é uma atividade interessante. Passo por paisagens bonitas, contemplo o pôr do sol quando treino cedo, e sempre gosto de registrar para aproveitar o momento”.

De hobby a uma atividade remunerada

O economista Anizio Lopes agora é fotógrafo oficial de provas (Bruno Lopes / Divulgação)
O economista Anizio Lopes agora é fotógrafo oficial de provas
A história de Anizio Lopes mostra que o esporte pode mudar a vida das pessoas de diferentes maneiras. Em 2007, com 46 anos de idade, o economista começou a praticar corrida. Aos poucos, foi se engajando no esporte, começou a participar de grupos e fazer amizades. Não bastasse tudo isso, ele, que era fotógrafo por hobby, passou a acompanhar as corridas e criou um blog para divulgá-las.

“A essa altura, eu já recebia muitas notícias sobre corridas no dia a dia. Como sou comunicativo, surgiu a ideia de criar um site”, conta. Nasceu o Corredor Endorfinado, página que fala sobre novidades do esporte e divulga eventos. A iniciativa, porém, não bastou. Anizio realiza também cobertura fotográfica de eventos. Lazer que virou trabalho e o fez percorrer todo o país.

“Comecei a observar o trabalho dos fotógrafos nas corridas e decidi me profissionalizar. Me associei a uma empresa e faço a cobertura de diversos eventos no Nordeste e, por vezes, em outras cidades do país”, explica Anizio, a quem o esporte, além da melhora na qualidade de vida, também trouxe realização profissional.

Hoje, ele não se vê longe da rotina de competições, seja cobrindo ou participando. “Isso é o máximo para mim. Se soubesse que minha história seria assim, tinha iniciado logo nessa área a minha carreira profissional, pois é algo muito prazeroso”, celebra Anizio. Entre os trabalhos mais recentes que tem divulgado, está o Power34 Recife, corrida de duathlon que acontecerá em outubro na Via Mangue. “O Brasil todo vê o que é colocado no Corredor Endorfinado. O Power34 é uma marca forte e a exposição na página é uma divulgação imensa”.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »