DP Empresas Distribuidora de fragrâncias cresce em Pernambuco

Por: Luciana Morosini

Publicado em: 10/02/2019 10:00 Atualizado em: 10/02/2019 10:25

Newton Banks e Jorge Rocha projetam incremento de 50% neste ano. Foto:	Joana Sodre/Divulgacao  (Foto:	Joana Sodre/Divulgacao )
Newton Banks e Jorge Rocha projetam incremento de 50% neste ano. Foto: Joana Sodre/Divulgacao
Durante a crise, muitos empresários seguraram os investimentos com receio por conta da instabilidade econômica. Porém, por outro lado, outros ignoraram o momento de descompasso da economia e apostaram em um novo negócio. De um convite oportuno nasceu a Cia Sense, distribuidora pernambucana de fragrâncias, que representa a marca Citratus Fragances. Inaugurada em maio de 2018, a empresa contabiliza crescimento médio entre 25% e 30% por mês e teve faturamento em torno de R$ 1,5 milhão entre maio e dezembro do ano passado. Para 2019, a expectativa é crescer 50%.

Jorge Rocha já trabalhava em uma empresa de fragrâncias e atuava no ramo há mais de 20 anos, quando recebeu a proposta de investir em seu próprio negócio e se tornar distribuidor de uma marca de fragrâncias. “O ano passado ainda estava com um cenário econômico tumultuado, mas conversei com meu filho sobre empreender e decidimos arriscar”, explica Jorge, que tem Newton Banks como sócio. A decisão veio por conhecer bem o mercado. “Claro que tem seus altos e baixos, mas ele se fortaleceu mesmo na crise”, diz.

Os sócios sabem que a concorrência é forte, mas Jorge Rocha ressalta que a expertise faz a diferença. “Não é fácil porque tem muitos concorrentes, mas ainda há muito a ser explorado de nichos”, afirma. Tanto que pai e filho não cessaram os investimentos. Neste ano e no próximo, eles devem aportar entre R$ 130 mil a R$ 150 mil entre a capacitação da equipe, novas contratações, logística e marketing.

A Cia Sense é uma empresa voltada para atender o mercado de revenda de pequeno e médio porte. Ela representa a Citratus Fragances, empresa de 27 anos, que tem uma fábrica em Vinhedos, em São Paulo, e que no ano passado foi adquirida pela multinacional alemã Symrise. 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.