Projeção Sondagem mostra crescimento na perspectiva para emprego, diz CNI

Por: AE

Publicado em: 25/01/2019 10:04 Atualizado em:

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil (Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Mesmo com queda registrada na atividade e emprego entre novembro e dezembro, as expectativas dos industriais são positivas para os próximos seis meses. Segundo a Sondagem Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI), os empresários estimam aumento no número de empregados, alta nos investimentos, demanda exportações e compra de matérias-primas.

A projeção para o número de empregados passou de 51,7 pontos na pesquisa feita no mês de novembro para 53,1 pontos na pesquisa divulgada nesta sexta-feira - números abaixo de 50 indicam queda. Na pesquisa de dezembro de 2017, o indicador estava em 50 2.

A intenção de investir ficou em 56,1 pontos, ante 55,5 pontos da pesquisa anterior. Já o índice que mede a demanda ficou em 60,3 pontos, o de quantidade exportada em 56,1 pontos e o de compras de matéria-prima ficou em 57,5 pontos.

"O aumento da intenção de investir do empresário é uma excelente notícia. A concretização destes investimentos geram mais emprego mais produção e mais renda, dando condições para que a indústria, e a economia como um todo, não só apresentem taxas maiores de crescimento, mas, mais ainda, trilhem um caminho de crescimento sustentado no longo prazo", afirma o economista da CNI Marcelo Azevedo.

De acordo com a pesquisa, as empresas ainda estão insatisfeitas com as condições financeiras no trimestre. O indicador que mede a margem de lucro operacional passou de 42,4 pontos para 42,0 pontos - abaixo de 50 pontos indica insatisfação.

Em relação ao preço das matérias-primas, recuou de 68,8 pontos em novembro para 58,9 pontos em dezembro. O número que indica a satisfação em relação à situação financeira foi de 46,9 pontos para 46,1 pontos, enquanto o de acesso ao crédito foi de 38,2 pontos para 38,3 pontos.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.