Pesquisa Setor de Serviços pernambucano continua em queda

Por: Thatiana Pimentel

Publicado em: 17/01/2019 17:16 Atualizado em: 17/01/2019 17:19

O volume de serviços pernambucano mostrou variação negativa pelo terceira vez consecutiva no indicador de novembro em relação a outubro, caindo -3,1%. O resultado é surpreendente pois pela onda de otimismo gerada no pós eleição e pelo bom desempenho dos demais indicadores como vendas do comércio, os especialistas previam uma alta nessa área. Contudo, esse também é o maior recuo no indicador mês para o mês de novembro desde a criação da série histórica da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), criada em 2011 pelo IBGE. No Brasil, o resultado do setor no mesmo período nem caiu nem subiu, ficando em 0%, o que coloca o estado em uma posição desfavorável em relação ao resto do país. A perspectiva agora é de uma taxa positiva no setor em Pernambuco apenas no segundo trimestre ou segundo semestre deste ano.

Para Rafael Ramos, economista do Instituto Fecomércio, os números foram impactados pela marcha lenta dos setores de indústria e comércio. "Eles são os maiores clientes dos serviços então precisam reagir primeiro, o que parece que já começou a acontecer", detalha. Enquanto que os piores índices de novembro em Pernambuco foram nos segmentos de serviços administrativos (técnicos especializados) e comunicação (propaganda e pesquisa), o segmento de “Serviços prestados às famílias” cresceu 2,0% puxado pela maior demanda dos serviços ligados a bares, restaurantes, lazer e atividades de beleza devido ao início das confraternizações de fim de ano. 

Por fim, os “Transportes, serviços auxiliares ao transportes e correio” foi a atividade que mais contribuiu de maneira positiva para a formação geral da taxa, com alta de 4,4%. "O serviço que mais impactou o penúltimo resultado do ano foi “Serviços profissionais, administrativos e complementares”, que sofreu com o fim dos contratos das pesquisas de mercado, opinião pública, publicidade e propaganda  ligadas ao cenário eleitoral com o fim das eleições", retoma, Ramos. De acordo com ele, nem mesmo o período de Black Friday, que influenciou na alta dos serviços de transporte, conseguiu reverter essa queda. Outro destaque negativo no estado ficou com “Outros Serviços”, puxados pelo desaquecimento do setor imobiliário em especial. 

Há de se destacar que apesar do movimento de alternância entre resultados negativos e positivos, o volume de setor mostra menor deterioração do que nos meses anteriores. Sendo assim, mesmo que de forma lenta, os Serviços caminha para um cenário positivo em 2019, o que pode ser alcançado de maneira mais rápida se de fato o que o setor produtivo for pautado e aprovado de maneira rápida. Em novembro, o indicador pernambucano que acompanha o desempenho do volume de serviços em 12 meses encerrou novembro em -1,6%, melhor situação do que os -1,9% do mês anterior e dos -5,5% do mesmo mês do ano anterior. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.