Transações Pagamentos do BNDES ao Tesouro diminuíram conta de juros em R$ 23,8 bi, diz BC A estimativa consta do estudo "Impacto da antecipação de pagamentos pelo BNDES e da redução do diferencial entre o custo de captação do Tesouro Nacional e a TJLP"

Por: AE

Publicado em: 20/12/2018 14:00 Atualizado em:

Foto: Reprodução/ Pixabay
Foto: Reprodução/ Pixabay
O Banco Central estima que os pagamentos antecipados feitos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ao Tesouro Nacional resultaram em redução de R$ 23,8 bilhões nas despesas líquidas com juros nominais da dívida do setor público. A estimativa consta do estudo "Impacto da antecipação de pagamentos pelo BNDES e da redução do diferencial entre o custo de captação do Tesouro Nacional e a TJLP", publicado no Relatório Trimestral de Inflação de dezembro.

Segundo a pesquisa, "os pagamentos antecipados contribuíram, isoladamente, para diminuir em R$ 23,8 bilhões as despesas líquidas de juros nominais e em 0,5 ponto porcentual a taxa de juros implícita acumulada em doze meses" da dívida pública.

Nessa operação de pré-pagamento do BNDES ao Tesouro, a transação realizada no fim de 2016 exerceu, segundo o box publicado pelo BC, a maior influência sobre esse resultado. Apenas nessa operação, a diminuição de gastos com juros somou R$ 17,1 bilhões. "Não só pelo volume expressivo de recursos envolvidos, mas também pelo período decorrido desde a devolução, de 21 meses", cita o documento.

O estudo diz também que outro impacto dos pagamentos do BNDES ao Tesouro foi a redução do diferencial entre custo médio da dívida pública interna e a Taxa de Juro de Longo Prazo (TJLP). Esse estreitamento do diferencial entre o custo de captação do Tesouro e a TJLP efetivamente praticada reduziu em R$ 89,6 bilhões a conta de juros nominais, diz o BC.

Somados os dois efeitos - do pagamento antecipado ao Tesouro e da menor diferença entre o custo da dívida e da TJLP praticada, o efeito positivo chega a R$ 113,4 bilhões nas despesas líquidas com juros entre fevereiro de 2016 e setembro de 2018 e recuo de 1,6 ponto na taxa acumulada em doze meses.

O box faz parte do Relatório de Inflação que pode ser consultado no endereço eletrônico https://www.bcb.gov.br/publicacoes/ri

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.