DEMANDA Demanda doméstica por voos cresce 2,59% em setembro, diz Abear Foram transportados 7,6 milhões de passageiros em voos domésticos ao longo de setembro, uma alta de 2,28%

Por: AE

Publicado em: 24/10/2018 12:30 Atualizado em:

Foto: Divulgação/Infraero
Foto: Divulgação/Infraero
A demanda por voos domésticos (medida em passageiros-quilômetro pagos transportados, ou RPK) cresceu 2,59% em setembro ante igual mês de 2017, de acordo com o levantamento da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), que reuniu dados de Avianca, Azul, Latam e Gol.

Já a oferta doméstica de assentos (assentos-quilômetros ofertados, ou ASK) avançou 5,52% na comparação anual. Com a procura por voos domésticos aumentando em nível abaixo do verificado para a capacidade, a taxa de aproveitamento de voos domésticos caiu 2,3 pontos porcentuais (p.p.) ante setembro do ano passado, chegando a 80,7%.

Foram transportados 7,6 milhões de passageiros em voos domésticos ao longo de setembro, uma alta de 2,28%. A Gol manteve a liderança no mercado doméstico no mês, com participação de 34,65%, seguida pela Latam, com 32,54%. A Azul ficou com 19,28% do market share doméstico no período, enquanto a Avianca obteve uma fatia de 13,53%.

Com esses resultados, no acumulado de janeiro a setembro de 2018 a demanda por transporte aéreo doméstico cresceu 4,51% frente ao observado no mesmo intervalo de 2017, enquanto a oferta subiu 4,88%. Por sua vez, o fator de aproveitamento mostrou estabilidade, com leve recuo de 0,29 p.p. em um ano, para 80 77%.

Cargas 
O transporte aéreo de carga pelas associadas da Abear movimentou 32,7 mil toneladas no mercado doméstico em setembro, 11,18% acima do verificado em igual mês de 2017. No mercado internacional, o volume atingiu 24,4 mil toneladas, uma alta anual de 27,9%.

De janeiro a setembro de 2018, foram 283,2 mil toneladas de carga transportadas dentro do País (+13,47% ante igual intervalo de 2017) e 209,9 mil toneladas transportadas nas rotas internacionais ( 31,23%).

Novos membros
Em setembro, a Abear recebeu mais duas associadas: MAP e Passaredo. As empresas passaram a fazer parte das estatísticas da entidade a partir de janeiro de 2019.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.