Mudança Petrobras vai lançar novo programa de remuneração de empregados esta semana Na nota, a empresa destacou ainda as mudanças recentes feitas para os funcionários, como o lançamento do Plano de Carreiras e Remuneração

Por: Agência Estado

Publicado em: 15/10/2018 19:46 Atualizado em:

Foto: Pedro Teixeira/Agência Brasil
Foto: Pedro Teixeira/Agência Brasil
Ao mesmo tempo em que avança na sua reestruturação interna, a Petrobras informou nesta segunda-feira, 15, aos seus funcionários que vai detalhar ainda esta semana um novo modelo de remuneração, o Programa de Remuneração Variável dos Empregados (PRVE), condicionado a três pilares: metas de desempenho pré-acordadas, desempenho da gerência a qual o empregado está vinculado e ao desempenho da companhia. Segundo a Petrobras, o programa permitirá o pagamento de um valor monetário adicional anualmente.

"Além de prosseguirmos com um pacote remuneratório e de benefícios mais atrativo que a média do mercado, o PRVE está em linha com outras iniciativas que temos desenvolvido para aproveitar e estimular o potencial das pessoas, buscando direcioná-lo para a obtenção de melhores resultados para a companhia e para conquistas adicionais para os profissionais", informou a estatal internamente em uma carta à qual o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, teve acesso.

Em gestação desde 2015, conforme noticiou o Broadcast em 2016, o novo plano tinha na época a previsão de que as metas financeiras passassem a definir 65% do bônus pago anualmente e distribuição dos cargos, enquanto a relevância da produção vai despencar de 80% para 10%. Os principais indicadores de eficiência cobrados dos funcionários seriam os de ganhos de geração de caixa (margem Ebitda), fluxo de caixa livre, gerenciamento dos gastos operacionais e desinvestimento, considerado essencial para ajustar o endividamento da companhia. Outras métricas seriam consideradas, mas teriam um peso mais tímido na formação do bônus. A sustentabilidade - práticas de segurança, meio ambiente e saúde - iria pesar 20%, mais do que os avanços técnicos de produção de petróleo, que teriam peso de 10%. E as políticas públicas, 5%.

Na nota, a empresa destacou ainda as mudanças recentes feitas para os funcionários, como o lançamento do Plano de Carreiras e Remuneração (PCR), com mais de 40 mil adesões voluntárias (86,3% do total de empregados da companhia) e o novo processo de Avanço de Nível e Promoção (ANPR), que tem o mérito como a base do reconhecimento.

"Nosso compromisso é dar as ferramentas necessárias para que cada empregado e cada gestor possa aprimorar sua atuação. Por isso, estamos estabelecendo novas parcerias estratégicas com universidades e instituições nacionais e internacionais para a concessão de treinamentos e outras opções para o desenvolvimento de programas de capacitação, como plataformas online", informou.

Procurada, a Petrobras confirmou o envio da carta, mas não deu mais detalhes sobre o programa.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.