Tecnologia Empresa oferece serviço de rádio no smartphone Startup BiPTT transforma smartphone, tablet ou computador em rádio corporativo com facilidades como gravar áudios e localizar chamadas

Por: Thatiana Pimentel

Publicado em: 23/09/2018 11:00 Atualizado em: 21/09/2018 16:14

[FOTO1]
Com o fim do serviço de rádio da Nextel, que encerrou essas operações no início do segundo semestre deste ano no Brasil, uma startup criada por um pernambucano está começando a se destacar nacionalmente por oferecer uma opção similar aos clientes corporativos que precisam da funcionalidade. A BiPTT é uma plataforma que transforma qualquer smartphone, tablet ou computador em um rádio Push-to-Talk (PTT), utilizando redes mobile comuns. Com tecnologia própria, desenvolvida com segurança a nível militar pela empresa, a plataforma traz todas as funcionalidades de um rádio corporativo, com facilidades aos usuários como gravar áudios e localizar os recebedores das chamadas, oferecendo uma solução em tempo real.

“Nossa ferramenta vai além de um comunicador walkie talkie ou qualquer outro rádio PTT. Além de envio e recebimento de mensagens de áudio em tempo real, ainda possui um sistema de backups de mensagens não ouvidas e localização geográfica. Isso permite ao administrador saber exatamente onde cada colaborador de sua equipe se encontra”, comenta o pernambucano Edgar Crespo, co-fundador do BiPTT. Nascido e criado no Recife, Edgar hoje mora no Rio de Janeiro e fundou a empresa lá, junto com os sócios Paulo Florêncio e Ricardo Aragão. O negócio, iniciado em 2017, já tem o primeiro investidor anjo e mais de 50 mil downloads em todo o Brasil. “Nosso objetivo é chegar a 100 mil downloads até dezembro. Destes, grande parte ainda são usuários testes, mas já atingimos a marca de meio milhão de ligações/mês, então, em 2019, já será o momento de escalar o negócio”, explica o empreendedor.

Para utilizar, basta ter um smartphone e baixar o aplicativo. Os primeiros sete dias são grátis, depois, os usuários que quiserem usar o rádio em suas empresas precisarão assinar o serviço. O custo da assinatura básica é de R$ 14,90 mensais. “A empresa investiu desde o início no sistema Push-to-Talk over Cellular (PTToC), a evolução do Push-to-Talk, que funciona por meio das redes 3G, 4G, LTE e Wi-Fi. Por utilizar as redes de internet móvel, o BiPTT resolve o problema de integração, pois usuários de diferentes operadoras podem comunicar-se entre si, além daqueles que não estão na rede de nenhuma operadora, e sim utilizando o Wi-Fi”, ressalta Edgar Crespo. Como público-alvo, o foco do negócio são empresas de qualquer tamanho nos segmentos de transportes, logística, segurança e saúde, que precisam de um meio mais seguro e ativo de comunicação que o whatsapp, por exemplo.

“Os áudios são uma realidade mas um áudio enviado por whatsapp pode não ser visto no tempo certo. Nosso serviço é para trabalhos que precisam de prontidão”, ressalta. 
Entre as outras funcionalidades do BiPTT, de acordo com o gestor, estão geolocalização, no qual é possível acompanhar em tempo real os colaboradores, utilização com baixa latência e baixo consumo de banda garantindo canais de comunicação Push-To-Talk operando em 2G, 3G e 4G e gravação de chamadas.“Queremos atender pequenas empresas que precisam de comunicação instantânea para o controle e andamento de suas operações. A quantidade de informação que os profissionais recebem diariamente é bem maior do que uma pessoa consegue realmente processar e, assim, muitas informações acabam sendo perdidas”, finaliza. 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.