Investimento Nair Miranda foca vendas de joias via redes sociais Empresária estudou mercado e investiu em novo negócio

Por: André Clemente - Diario de Pernambuco

Publicado em: 22/09/2018 14:00 Atualizado em:

Nair Miranda apresenta os produtos pelo Instagram e vai ao encontro dos clientes. Foto: Leo Malafaia/DP
Nair Miranda apresenta os produtos pelo Instagram e vai ao encontro dos clientes. Foto: Leo Malafaia/DP
Empreender em economias incertas exige ainda mais planejamento e cautela na hora de investir. Isso tem movimentado negócios digitais como teste de mercado, até que o ambiente de negócio esteja mais favorável para, por exemplo, viabilizar uma loja física. É exatamente o caminho traçado pela empresária Nair Miranda, ao lançar a marca Nair Miranda Semijoias. De consumidora exigente, foi estudar o mercado, mudou de lado “do balcão” e agora aposta na revenda dos produtos banhados a ouro e a prata. O começo tem resultado em bons negócios pelo Instagram. Mas no futuro, a ideia é abrir a loja própria. Por enquanto, um projeto para o longo prazo.

“Eu sempre gostei de moda, de roupas, acessórios e sempre comprei muito semijoias. Tanto que me interessei em empreender no segmento, porque eu sempre procurei algo que me enchesse os olhos. Comecei a pesquisar o mercado, quem comprava, que modelos, fui estudar oportunidades, conversei com amigas consumidoras e vi que dava para trabalhar com isso. Abri a empresa como Microempreendedor Individual (MEI) e comecei o negócio”, detalha.

A Nair Miranda Semijoias é uma revenda de acessórios femininos, como pulseiras, brincos, anéis, colares, entre outros, banhados a ouro 18 quilates ou a prata. A priori, toda a comercialização é pelas redes sociais, via perfil no Instagram @n.m.semijoias. “O negócio roda muito pela rede social. Eu apresento as fotos e as clientes entram em contato comigo para eu apresentar presencialmente. Tem me dado um retorno muito interessante. Eu marco em um café, no shopping, no trabalho da cliente. Apresento as peças e fecho a venda”, detalha.

“São dois fornecedores que revendo, de qualidade que considero excelente em design e durabilidade. Vale lembrar que a diferença entre joia e semijoia é que as semijoias recebem o banho de ouro ou de prata. O mesmo que ser folheado. São uma categoria abaixo das joias, mas bem acima da qualidade de bijuterias. As semijoias que eu vendo, por exemplo, têm garantia de um ano. Não cobre o mau uso, mas o banho original das peças é garantido. Alguns modelos, por sinal, são semelhantes a lojas de joias”, destaca. Os preços variam entre R$ 50 e R$ 350.

Apostar em um negócio novo neste ano até gerou receio, principalmente quando o tradicional varejo de acessórios “exige” uma loja física. A aposta por trabalhar um passo antes de investir em uma unidade de shopping, por exemplo, foi a forma de não deixar o desejo de Nair de colocar o negócio para funcionar. “Eu entendo que muitos clientes gostam de visitar lojas de acessórios, provar semijoias, ver as novidades em um espaço preparado para eles. Até tenho isso no horizonte, mas ainda está um pouco a longo prazo. A economia ainda está difícil. Estamos vendo lojas fechando, em dificuldade, e isso não motiva muito. A aposta se torna arriscada. Por enquanto, eu vou por esse caminho alternativo para ganhar mercado. Vou ao encontro dos clientes, formo a base e lá na frente me preparo melhor para montar a estrutura para recebê-los”, planeja.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.